Header Ads

Quatro hospitais particulares de Fortaleza estão com capacidade esgotada na urgência e emergência


Pelo menos quatro hospitais particulares de Fortaleza esgotaram a capacidade de atendimentos de urgência e emergência em meio à pandemia de Covid-19. Os hospitais São Mateus e São Carlos informaram haver lotação total dos leitos. Uniclinic e Gênesis não têm mais condições para atendimentos nas alas de urgência e emergência.

Na rede pública da Capital, a ocupação dos leitos de UTIs chegou a 97,1%, segundo boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) na noite desta quarta-feira, 6.

O São Mateus encaminhou documento à Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde Pública na qual informa ter atingido 100% da capacidade de atendimento, com total lotação de leitos clínicos e de Unidades de Tratamento Intensivo (UTI). Em função disso, passou a orientar as pessoas que procuram atendimento a procurarem outras unidades. O procedimento será adotado sempre que a capacidade máxima for atingida. "Estaremos muito atentos para darmos atendimento ao maior número de pessoas possíveis", completa o documento.

Médicos também relataram ao O POVO que a mesma situação ocorre no Hospital São Carlos. No local há comunicado da direção que aponta sobrecarga e ausência de vagas para atendimento ou internação em enfermaria, apartamento ou UTI. Pacientes são orientados a procurar atendimento em outras unidades de saúde. O POVO ligou para o hospital, mas a pessoa que atendeu informou que precisava de autorização do supervisor de atendimento de plantão para dar informações. Os números fornecidos para falar com o supervisor não foram atendidos e, após oito tentativas, ficaram "indisponíveis para receber chamadas".
Lotação da ala de emergência

Nos hospitais Uniclic e Gênesis, avisos foram colocados na entrada para informar sobre a superlotação das alas de pronto atendimento e orientar os pacientes a se dirigem em busca de outros pontos de atendimento.

Um dos supervisores de atendimento do Uniclinic explicou ao O POVO que a ala de emergência continuava lotada até a noite desta quarta-feira, 6, mas que atendimentos eletivos e exames rotineiros de prescrições médicas estavam ocorrendo normalmente. A direção do hospital deverá se pronunciar oficialmente sobre a situação nesta quinta-feira, 7.

Uma funcionária do Gênesis explicou que o atendimento a novos pacientes na ala de urgência e emergência estava suspenso e sem previsão de retorno, mas não por superlotação. A ala abriga hoje dois pacientes internados com diagnóstico positivo para Covid-19. Como não havia condições de transferi-los para outro setor, em decorrência da lotação dos leitos de UTI, a ala de pronto atendimento precisou ser temporariamente isolada para não haver risco de transmissão da Covid-19 para outros pacientes.

Profissionais de saúde também apontam que a lotação atinge outros dois hospitais particulares de Fortaleza.

O Povo

Tecnologia do Blogger.