Header Ads

Força Nacional deixa Ceará.


A notícia não é boa, mas é real. O secretário nacional de Segurança Pública, general Guilherme Theophilo, informou nesta terça-feira (5) que a Força Nacional de Segurança Pública vai deixar o Estado do Ceará.

Para Beto Almeida, forças políticas junto ao governo Bolsonaro poderiam atuar nesse momento para reverter essa situação, ou pelo menos evitar a retirada de todas as tropas federais.
“É verdade que os ataques diminuíram, mas não acabaram. A situação não está de toda debelada. A saída de forma abrupta dá um gás para que possíveis outros ataques criminosos e terroristas dessa natureza possam ocorrer no Estado”, afirma o jornalista.

A Força Nacional deu importante contribuição para frear, ao longo do mês de janeiro, a onda de ataques e incêndios na Região Metropolitana de Fortaleza e cidades do Interior do Estado.
O secretário de Segurança Pública do Ministério da Justiça, general Teófilo Guilherme, ao anunciar a decisão de retirada da Força Nacional, disse que a medida é fruto de uma avaliação entre os governos estaduais e Federal, ou seja, com a redução do número de ataques, torna-se desnecessária a permanência da Força Nacional no Ceará.

O governador Camilo Santana foi surpreendido com o anuncio feito pelo general Teófilo, uma vez que ainda tinha esperança e receber uma resposta positiva sobre a manutenção dessas tropas no Ceará. Camilo queria que a Força Nacional de Segurança atuasse em conjunto com as polícias locais no sistema carcerário para para neutralizar ainda mais o poder de fogo das facções criminosas.

O Ministério da Justiça rejeitou o pedido e agora caberá a Polícia Militar auxiliado pela Policia Federal, dar continuidade as ações de combate a violência e evitar os ataques criminosos.
O assunto faz parte do seu cotidiano e ganhou destaque no Bate Papo Político do Jornal Alerta Geral desta terça-feira (29), com as análises dos jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida.

Fonte: CearáAgora
Tecnologia do Blogger.