Header Ads

JN STUDIO

Alunos ocupam 30 escolas no Ceará em apoio à greve dos professores

 Alunos da rede pública de ensino do Ceará já ocupam 30 escolas de Fortaleza e interior do Ceará em apoio à greve do professores, iniciada em abril. Os alunos cobram também melhorias nas escolas e afirmam que deixaram as escolas se o Governo do Estado garantir a reivindicação do grupo.


Na Escola Polivalente do José Walter, em Fortaleza, as salas de aula viraram dormitório para 30 estudantes que dormem na unidade há dois dias. Eles se alimentos de produtos doados pelos vizinhos.
"As pautas gerais são o passe livre estudantil, a gente quer ter voz dentro da escolar, participar de votação nas escolas porque a gente é ameaçado", diz a estudante Emanuelle Vieira. Uma das melhorias estruturais que eles cobram na escola é o fim de goteiras, que alagam as salas e corredores sempre que chove.


Outras 29 escolas estão na mesma situação. A maior parte das unidades ocupadas por alunos fica em Fortaleza, 22 delas; o caso se repete em Maracanaú (3), Juazeiro do Norte (3) e Crato (2).
A Secretaria da Educação afirma que tem mantido diálogo com diretores, professores e alunos para buscar melhorias para as categorias.
Anúncio de investimentos
Na semana passada, o governador do Ceará, Camilo Santana, anunciou investimento de R$ 140 milhões para educação, parte para atender às reivindicações de alunos, e professores em greve. As paralisações dos professores afetam 700 escolas e mais de meio milhão de alunos.
Para reformas e melhoria na estrutura física das escolas da rede estadual, Camilo Santana anunciou investimento de R$ 32 milhões. Também foi anunciado a criação de um suprimento de fundos para as 709 escolas da rede estadual no valor adicional de R$ 5 milhões ao ano, a fim de agilizar e facilitar a gestão da escola em relação aos problemas rotineiras, como reposição de material e conserto de equipamentos.

Fonte: G1-CE 
Tecnologia do Blogger.