Header Ads

Mulher de 113 anos diz que se sente bem após sobreviver ao novo coronavírus

Maria Branyas vive em uma casa de repouso em Olot, na Catalunha

Foto: Maria Branyas/Twitter
Uma mulher de 113 anos, talvez a mais antiga moradora da Espanha, disse que se sente bem após sobreviver ao novo coronavírus.

Imagens de Maria Branyas, nascida em 4 de março de 1907, mostram a sobrevivente conversando com o diretor da casa de repouso onde ela vive, em Olot, na Catalunha.

“Com relação à minha saúde, estou bem, com os mesmos aborrecimentos que qualquer um pode ter”, afirmou ela em um vídeo gravado na segunda-feira (11).

Branyas se recuperou de um caso leve de Covid-19. A batalha dela começou pouco depois de uma visita da família no dia 4 de março para celebrar o 113º aniversário dela, contou a porta-voz.

Desde então, os parentes não conseguiram mais visitá-la. Branyas mora há 18 anos em um dormitório da casa de repouso Santa Maria del Tura, administrada pelo Instituto da Ordem de San José de Gerona, ligado à Igreja Católica.

Maria Branyas nasceu na cidade de San Francisco, nos Estados Unidos, onde o pai dela trabalhava como jornalista, de acordo com informações da agência France-Presse.
Ao longo de sua vida, ela viu duas guerras mundiais e a pandemia da gripe espanhola, que matou mais de 50 milhões de pessoas no mundo.

Branyas conseguiu se recuperar do novo coronavírus, mas dois moradores da mesma casa de repouso, onde ela vive, não sobreviveram. A situação no local tem piorado, disse a porta-voz.

O estado de emergência decretado na Espanha, em vigor desde 14 de março, impôs medidas rigorosas de confinamento. Mas com a queda recente no número de infectados e mortos, o governo decidiu aliviar algumas delas em certas regiões do país, indicando uma volta gradual das atividades.
O alívio dessas restrições não ocorreu em Olot, onde Branyas vive.

Com informações da CNN


Tecnologia do Blogger.