Header Ads

Filho dorme na calçada de UPA para acompanhar o pai internado por Covid-19 em Fortaleza; idoso aguarda leito em UTI


Com o pai Jocélio da Silva, 62 anos, internado por causa do novo coronavírus, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Bairro Vila Velha, em Fortaleza, Jessé dos Anjos se recusa a deixar o local, onde tem dormido na calçada da unidade hospitalar há seis dias e só pretende deixar o local depois que conseguir um leito de UTI para o pai.

Na terça-feira (12), Jessé recorreu à Justiça para conseguir uma UTI para o pai e a 3ª Vara Cível da Comarca de Caucaia determinou que o idoso seja encaminhado para um hospital público que tenha leito de UTI ou, ainda, um hospital da rede privada com custos pagos pelo próprio estado. Em nota, a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) informou que até o momento não foi notificada do processo judicial do paciente Jessé de Sousa Silva.

Nesta quarta-feira (13), Fortaleza ultrapassou a marca de mil pessoas mortas em decorrência da Covid-19, de acordo com a Secretaria da Saúde (Sesa), somando 1.022 óbitos, além de 13.037 casos da enfermidade. O Ceará, por sua vez, registrou o recorde de mortes em um período de 24 horas, com outros 109 óbitos contabilizados desde esta terça-feira (12). Agora são 1.389 pessoas que não resistiram à Covid-19, com mais 19.156 diagnósticos positivos para a doença.

Com sintomas como moleza, febre e falta de ar há dias, Jocélio da Silva, segurança aposentado, foi internado na Unidade de Pronto Atendimento na manhã da última sexta-feira (8). “Eu demorei a levar ele para internar por medo de não ver mais ele e também porque eu achei que poderia cuidar em casa. Ele também pediu que não queria ir, mas sexta-feira nós conversamos e eu o convenci a vir, mesmo com medo”, contou o filho Jessé. O idoso tem comorbidades como hipertensão, diabetes e é portador de hiperplasia prostática benigna, o que requer mais cuidado com a sua situação.

Nos últimos seis dias, em que o pai está internado, a rotina de Jessé conta com edredom e travesseiro, no chão da calçada em frente a UPA do Vila Velha e noites mal dormidas. “Quase uma semana acampado aqui, dormindo na calçada do hospital, vivendo da ajuda de amigos e vizinhos da UPA para poder acompanhar meu pai na luta contra a Covid-19, durante as 24 horas do dia”, pontua. “Continuo na batalha e não aceito voltar pra casa sem ele”, frisou.

Necessidade da UTI
Na última terça-feira (12), o quadro clínico do segurança aposentado se agravou por causa de uma complicação respiratória, e desde de então a saga do filho é na busca por um leito de UTI, para a sobrevivência do pai. De acordo com a Secretaria de Saúde do Estado do Ceará (Sesa), pela plataforma digital IntegraSUS, 24 unidades hospitalares estão operando com mais de 80% de ocupação nas UTIs.

“Não sei mais o que fazer. Tô pra todo lado correndo esses dias e sem encontrar saída, pois são muitas viagens em vão, Secretaria de Saúde, hospitais, fórum, defensoria. Passei o dia de porta em porta, hospital em hospital, e agora eu to perdido, sem uma luz”, declarou. “Eu estou bastante nervoso ainda, porque eu só tenho escutado não, em todos os lugares que vou”, disse chorando.

A gravidade da situação, levou ao Poder Judiciário do estado do Ceará despachar, na tarde desta quarta-feira, um pedido para leito de UTI para o idoso. “Requer a sua imediata transferência para hospital público terciário que contenha leito de UTI e, caso alegue falta de vagas, seja encaminhado para hospital da rede privada de saúde, às custas do estado do Ceará”, declara o documento da 3ª Vara Cível da Comarca de Caucaia.

Em nota, a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) informou que ainda não foi notificada do processo judicial do paciente Jessé de Sousa Silva. O órgão ressaltou que a central de regulação "continua mantendo contato com a UPA 24h no Vila Velha, em Fortaleza, sobre atualização do quadro clínico do paciente e que está fazendo busca ativa por disponibilidade de leito em hospital de referência".


G1 CEARÁ

Tecnologia do Blogger.