Header Ads

Suspeito de ordenar morte de agente penitenciário é preso pela Polícia Civil na Grande Fortaleza


A Polícia Civil prendeu o suspeito de ordenar a morte do agente penitenciário Paulo Vitor Passos Teixeira, 25 anos, nessa terça-feira (3), no município de Caucaia. Marcelo Bezerra da Silva, 35, conforme a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), teria dado a ordem de atirar contra o agente. Essa é a sétima prisão do caso. Outros seis suspeitos foram capturados na segunda-feira (2). O agente, que estava dando carona para amigos, foi executado a tiros no último domingo (1), no Bairro Papicu, em Fortaleza, ao entrar com o carro em uma viela do lugar.
Paulo Vitor estava voltando do aniversário da namorada, com cincos amigos, quando, guiado pelo GPS, entrou em uma viela do bairro Papicu. Às 22 horas daquela noite de domingo, o agente penitenciário foi executado a tiros, ao tentar escapar dos suspeitos correndo, depois que os criminosos encontraram sua arma dentro do carro. A vítima foi perseguida e baleada. Os amigos conseguiram fugir.
A SSPDS informou que o suposto mandante presenciou o momento do assassinato, em um ponto distante do local do crime. Ele teria sido foi informado da presença das vítimas na região pelo grupo responsável pela execução que, ao consultá-lo, realizaram a execução da vítima e permitiram a fuga dos passageiros.
Marcelo, conforme a Secretaria da Segurança Pública, estava foragido desde a execução, migrando por vários endereços até ser capturado na Avenida Ulisses Guimarães, em Caucaia. O suspeito tem passagens pela polícia por roubo no estado do Ceará em 2003 e, em 2015, foi preso com cerca de sete quilogramas de cocaína em Portugal, ao ser investigado por tráfico internacional de drogas.
O suspeito, de acordo com a SSPDS, foi encaminhado para a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), onde foi ouvido e “autuado em flagrante por integrar organização criminosa e por homicídio qualificado em razão de ser um crime contra a vida praticado contra um integrante do sistema prisional.”


G1 CEARÁ

Tecnologia do Blogger.