Header Ads

Ônibus escolar atola, e alunos descem para empurrar veículo no Ceará


Cerca de 20 alunos da rede pública do Ceará perderam o dia letivo, nesta segunda-feira (9), após o ônibus escolar em que estavam atolar em uma estrada vicinal nas proximidades da comunidade das Caraúbas, no município de Caucaia, na Grande Fortaleza. Os próprios alunos, do ensino médio, precisaram empurrar o veículo.
De acordo com uma estudante que estava na rota no momento do atolamento, foi o motorista do veículo quem sugeriu que os alunos empurrassem o ônibus. "O motorista desceu, viu a situação, e pediu que a gente empurrasse. Ele subiu, ficou na direção, mas não deu certo, não conseguimos tirar do canto", relembra. Os estudantes voltaram para casa a pé após o incidente.
Situações como essa, ela diz, são comuns na região, principalmente no período de chuvas. “É costume já chegar atrasada ou faltar aula por causa dos ônibus. Se não é porque atola é por causa de problemas como pneu furado e outras falhas”, conta.
Em Caucaia, são 78 linhas escolares, 45 delas abastecidas por ônibus patrimoniais, disponibilizados pela Prefeitura, 23 gerenciadas pela Transportadora Cearense e Turismo (Transcetur) e 10 de outra terceirizada, a Brazel.

 

Empresa rebate versão de estudantes

O ônibus que atolou em Caucaia é da Trancetur, que presta serviços à Prefeitura desde 2017.
A reportagem do G1 entrou em contato, por telefone, com o representante jurídico da empresa, Carlos Carvalho. Ele informou que empurrar o veículo “não faz parte do procedimento padrão” em casos de atolamento.
“Para remover veículos desse tipo, é preciso um reboque, não é possível tirar empurrando”, explica. Ainda segundo Carlos, a orientação da empresa é que, em casos como esse, o motorista ligue para um reboque e aguarde no local para que outro veículo seja disponibilizado e a rota siga.
A empresa informa que vai investigar o envolvimento do motorista no caso. “Não temos a informação de que foi ele que mandou empurrar, mas vamos investigar, já que não está no procedimento indicado”, diz Carlos.
Sobre os problemas nos ônibus indicados pela estudante ouvida na reportagem, Carlos informa que todos os veículos da transportadora passam por manutenção diária e que todos os incidentes “são repassados para o setor de Transporte da Secretaria de Educação de Caucaia”.
Em nota, a Prefeitura de Caucaia lamenta o caso e informou que fiscaliza diariamente as garagens das empresas terceirizadas. O município informou ainda que deve adquirir mais 20 veículos para a frota e, que com o fim do contrato de terceirização do transporte escolar, previsto para o fim deste mês, pretende assumir integralmente todas as rotas escolares.

G1 CEARÁ


Tecnologia do Blogger.