Header Ads

Novo hospital para atender pessoas com coronavírus começa a funcionar domingo com 200 leitos em Fortaleza


O Hospital Leonardo da Vinci, localizado no Centro de Fortaleza, começa a funcionar neste (22) para atender pacientes diagnosticados com coronavírus, conforme a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa). A unidade pertence à iniciativa privada e foi requisitado pelo Governo do Ceará para dar suporte a eventuais confirmações da doença no estado.
O Ceará já contabiliza 24 casos confirmados e 766 suspeitos. Nesse cenário, o encaminhamento dos pacientes ao hospital será realizado por meio da Central de Regulação do Estado. Ou seja, a população não pode ir diretamente ao local, porque não haverá atendimento de urgência sem encaminhamento.
O estado deve garantir a mão de obra, contratar médicos, enfermeiros e técnicos para atuarem no funcionamento da unidade. A iniciativa privada cedeu a estrutura da unidade após requisição do governo.
Segundo a Sesa, os profissionais de saúde também “serão capacitados de forma permanente para o atendimento”.
Inaugurado em 2015, a unidade não é credenciada a nenhuma rede de planos de saúde e foi inicialmente criado para suprir a carência de leitos na capital, assim como para reduzir a demanda de grandes hospitais.
Em portaria publicada no Diário Oficial do Estado, no dia 12 de março, foi anunciado que o governo havia adquirido a unidade como parte do plano de contingência do coronavírus.

Novos leitos
O hospital contava com 90 leitos e foram acrescentados novos 110 leitos para a possível demanda de atendimento. Dentre os 200 leitos da unidade, 30 são de UTIs.
Os recursos para o custeio do funcionamento da unidade são oriundo dos R$ 45 milhões anunciados pelo executivo estadual.
O médico e diretor do Hospital Leonardo da Vinci, Boghos Boyadijan, explicou na última semana que foi contactado pelo secretário da Saúde, Dr. Cabeto, quanto a possibilidade de usar o hospital. "Ele me ligou e disse que tem urgência. Ele falou que 'precisamos requisitar o seu hospital por necessidade não prevista'. E sentindo a necessidade da população, nós decidimos ceder. O hospital já está à disposição", garantiu.

G1 CEARÁ


Tecnologia do Blogger.