Header Ads

"Não devo pedir desculpa", diz André Fernandes sobre denúncia

ANDRÉ Fernandes concedeu coletiva na AL-CE para mostrar sua versão das denúncias apresentadas contra Nezinho Farias (Foto: Tatiana Fortes/Tatiana Fortes)

Pesselista diz não ter exposto deputado Nezinho, já que solicitou sigilo ao MP. Órgão alega que as pessoas precisavam saber do conteúdo apresentado

Após ser denunciado no Conselho de Ética da Assembleia Legislativa (AL-CE), o deputado André Fernandes (PSL) afirmou que não pedirá desculpas e que não mudará a linha de atuação na Casa. Por mais de 40 minutos, ele falou sobre a denúncia apresentada no último dia 17, que trata jogos eletrônicos como "jogo do bicho" e que liga o parlamentar Nezinho Farias (PDT) a uma facção criminosa.

Fernandes explica que ao usar a tribuna, há duas semanas, não citou o pedetista, já que não tinha certeza do que estava expondo. E que, em vez disso, levou a denúncia ao Ministério Público (MPCE) solicitando sigilo.

"Deputado Nezinho, sinto muito que seu nome tenha sido exposto. Não citei em plenário o nome de vossa excelência justamente por questão de responsabilidade", defendeu-se.

Para Fernandes, ao pedir sigilo, ele e a equipe não falharam. Ele diz que o "informante", autor da primeira denúncia, ficou de levar ao gabinete mais elementos. "Me trouxe alguns indícios e disse 'olha, deputado, eu tenho algumas fotos, tenho áudios, isso e aquilo, eu vou trazer também, vou juntar com fulano, com radialista de num sei aonde", afirmou.

"Vai ter mais foto, vídeo ou prova? Eu não sei, agora quem quiser trazer alguma coisa eu encaminho, sem problema nenhum. O que o informante disse foi que 'eu vou lhe trazer mais coisas'. Se é do mesmo nível do projeto (de lei) ou se é a nível mais pesado, eu não sei, mas eu encaminho", assegura.
Em nota, o MPCE contaria o entendimento de Fernandes, sustentando que "todas as denúncias encaminhadas ao MP são públicas e sujeitas ao conhecimento da coletividade."

"Os documentos entregues pelo deputado André Fernandes foram encaminhados à Procuradoria dos Crimes contra a Administração Pública (Procap) para registro e processamento, não vislumbrando o Procurador Geral de Justiça necessidade de decreto de sigilo", diz a nota.

Procurador-geral de Justiça do Ceará, Plácido Rios afirmou ao O POVO que o aliado de Bolsonaro foi convidado a novo depoimento e confirmou presença. Rios não disse, contudo, a data do encontro. "A ideia é que ele fique à vontade para apresentar o que tiver."

O POVO tentou obter a data do depoimento com a titular da Procap, Vanja Fontenele, e com a equipe de Fernandes. Fontenele não retornou. A equipe disse não saber.

Nezinho Farias disse que assistiu parte do que foi exposto por Fernandes no Comitê de Imprensa da Assembleia. "Perdi meu tempo", resumiu. O pedetista afirma não esperar do adversário qualquer retratação. "Nem eu estou atrás disso. Nenhuma coisa disso me interessa. Não faço questão da humildade dele, porque ele não tem mesmo."

Para Nezinho, permanece o sentimento de indignação em relação a Fernandes, confirmando que o processo judicial — particular — contra Fernandes já teve entrada.
O pedetista qualificou ainda membros do Conselho de Ética "como de confiança." "São homens e mulheres de muita responsabilidade. Esperar que eles tomem as providências para não ter nenhuma decisão errada", concluiu.

PT
Em nota, o deputado Elmano de Freitas (PT) afirmou que a decisão sobre a entrada no Conselho de Ética está sendo tomada. "Muito embora o sentimento é de que houve uma profunda injustiça e irresponsabilidade no documento encaminhado ao MP." Apesar de o tema ainda estar em discussão, ele pontua que o PT não aceitará atitudes marcadas por falta de mínima conduta ética.

CARLOS HOLANDA/O Povo
Tecnologia do Blogger.