Header Ads

Mourão volta a dizer que é preciso investigar Flávio Bolsonaro e punir se for o caso

O presidente em exercício, Hamilton Mourão, voltou a dizer que é preciso investigar o caso envolvendo o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), e que, se ficar comprovado participação dele, deve sim acarretar em eventuais punições, ao comentar declaração do presidente Jair Bolsonaro em Davos sobre o episódio.

"Apurar e punir se for o caso", disse Mourão, em entrevista na saída do seu gabinete no Palácio do Planalto.

Flávio Bolsonaro, que é deputado estadual e assumirá o mandato de senador em fevereiro, é investigado na esfera cível por suspeita de movimentação financeira atípica detectada pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

Na terça-feira foi revelado também que Flávio empregou em seu gabinete na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro a mãe e a mulher de um ex-policial acusado de liderar uma organização criminosa com atuação de milícia.

Mourão foi questionado se a declaração de Bolsonaro não teria vindo tarde, quando o desgaste já está instalado.

"Não, na primeira vez que surgiu esse assunto ele já tinha declarado isso, tenho quase certeza que ele falou isso", disse o presidente em exercício.

Mourão não soube dizer o motivo de o presidente ter cancelado em Davos a participação em uma entrevista coletiva.


Fonte: MSN Noticias
Tecnologia do Blogger.