Header Ads

Efetivo de 800 policiais militares da reserva se apresenta para reforçar segurança após ataques no Ceará



Foram convocados 1,2 mil PMs e bombeiros militares que estavam na reserva para voltar às ruas. Estado registrou 210 ataques criminosos desde o dia 2 de janeiro.
A Polícia Militar confirmou que 800 militares da reserva se apresentaram para reforçar a segurança nas ruas do Ceará devido à série de ataques criminosos no estado. Parte desse efetivo participa, durante a manhã desta sexta-feira (18), de uma reunião no Ginásio Paulo Sarasate, no Centro de Fortaleza, e depois volta ao trabalho.

A convocação é uma das medidas adotadas pelo Governo do Estado para tentar conter as ações criminosas ocorridas desde o dia 2 de janeiro. Até esta quinta-feira (17), foram confirmadas 210 ataques em 46 dos 184 municípios cearenses. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública, 383 pessoas foram capturadas por envolvimento nos crimes.
Em meio aos aos crimes, o governo convocou 1.201 policiais e bombeiros militares que estavam na reserva para voltar às ruas. O prazo estipulado para apresentação era até quarta-feira (16), mas foi estendido esta sexta.

De acordo com o Relações Públicas da PM, coronel Jano Marinho, a prorrogação ocorreu devido à dificuldade em entrar em contato com todos agentes, principalmente com quem mora no interior do Ceará.

"Eles não acessam a internet e nós temos policiais a sua maioria entre com idades de 55 a 60 anos. Hoje nós temos essa dificuldade de comunicação. Os meios de comunicação acabaram ajudando muito, mas a prorrogação se deve a razão desse fato”, afirmou.
Apresentação obrigatória
A Polícia Militar informou que a apresentação é obrigatória para os PMs que estão na reserva há no máximo cinco anos e que moram no Ceará. Aqueles que não residem no Ceará não estão obrigados a se apresentar.

Quem não se apresentar pode responder administrativamente por transgressão disciplinar. E quem não puder mais trabalhar precisa apresentar um atestado médico e passar por uma avaliação na PM.
A convocação foi possível após a aprovação de uma lei na Assembleia Legislativa, em sessão extraordinária neste sábado (12), durante o recesso parlamentar. Os policiais da reserva que voltarem a trabalhar irão receber uma gratificação extra, que pode chegar a R$ 900, de acordo com a patente.

G1 –CE
Tecnologia do Blogger.