Header Ads

Ministério Público investiga relação criminosa entre delegado, advogado e detento


O delegado Romério Moreira de Almeida, suspeito de corrupção passiva, foi afastado das funções, por decisão do juiz da 8ª Vara Criminal
O Ministério Público do Estado do Ceará, por meio do Núcleo de Investigação Criminal (Nuinc), em parceria com Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e o Sistema Penitenciário do Estado (CGD), deflagrou nesta quarta-feira (25) a Operação Renault 34, de combate a suposto esquema criminoso envolvendo o titular do 34° Distrito de Polícia Civil, um advogado e um detento.
O juiz da 8ª Vara Criminal de Fortaleza, Henrique Granja, autorizou o cumprimento de mandados de busca de apreensão na casa do titular da delegacia, Romério Moreira de Almeida, e determinou o afastamento dele das funções de delegado por 60 dias por suspeita de corrupção passiva. A CGD realiza uma correição no Distrito Policial, com a análise minuciosa de todos os documentos e procedimentos realizados na unidade para verificar indícios de crimes.

A operação também cumpriu mandados de busca e apreensão na casa e no escritório do advogado Hélio Nogueira Bernadino, e na cela onde se encontra o detento Anderson Rodrigues da Costa, preso na Unidade Prisional Desembargador Francisco Adalberto Barros de Oliveira Leal, conhecida como Carrapicho, em Caucaia. Ambos suspeitos de corrupção ativa no mesmo caso.
Entenda o caso
Os indícios da prática dos crimes de corrupção foram evidenciados em interceptações telefônicas, autorizadas pela Justiça, numa Operação do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), do Ministério Público do Estado do Ceará, que investigava a atuação de bandidos ligados a facções criminosas no Ceará em 2016.
Fonte: Tribuna do Ceará  

Tecnologia do Blogger.