Header Ads

JN STUDIO

Detentos fazem vídeo debochando de regalias em presídio

Sejus informou que internos já foram identificados, colocados no modo isolamento e responderão a procedimento administrativo disciplinar
Um vídeo gravado por um detento mostra os presos debochando das regalias que têm acesso durante o cumprimento da pena. As imagens divulgadas nas redes sociais na manhã dessa quarta-feira, 4, mostram a cela equipada com televisão LCD, ventiladores e telefones celulares. Conforme o detento que narra o vídeo, ele foi gravado na unidade prisional desembargador Francisco Adalberto Barros de Oliveira Leal, conhecida como "Carrapicho", no município de Caucaia.

Com duração de pouco mais de um minuto, o autor do vídeo inicia a filmagem com a frase: “Olha como o Carrapicho é mamão!”, em referência as facilidades desfrutadas. Em seguida, aparecem presos utilizando aparelhos celulares e outro chega a dançar para a câmera, enquanto os demais riem da situação.

Em nota, a Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado (Sejus) informou que os internos que aparecem no vídeo na Unidade Prisional Francisco Adalberto Barros Leal já foram identificados, colocados no módulo de isolamento e responderão a procedimento administrativo disciplinar, conforme previsão legal.

Conforme a Sejus, os internos têm direito a ter ventiladores e televisores, que são fornecidos pelos familiares.

Sobre os celulares que aparecem nas imagens, a Secretaria informou que os aparelhos foram apreendidos. A Sejus está investigando como aconteceu a entrada dos celulares e na unidade prisional.

Reincidência
Em setembro deste ano, foram divulgados dois vídeos que mostravam detentos cantando e dançando dentro de uma cela também do "Carrapicho". As imagens circularam nas redes sociais e em grupos de WhatsApp.

Nos vídeos, dois presos que se intitulavam “MC Grilinho” e “MC Queixinho” apareciam dançando músicas de axé e interpretando a música “50 reais”, da cantora sertaneja Naiara Azevedo.

Na época, a Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado informou que estava investigando as imagens e caso fosse constatado que foram feitas dentro de uma unidade prisional cearense, as medidas necessárias seriam adotadas.

Fonte: O Povo 

Tecnologia do Blogger.