Header Ads

JN STUDIO

Motorista do Uber foi morto porque não baixou o vidro do carro ao entrar em zona do tráfico

Associação de motoristas de aplicativos de mobilidade fez um protesto durante o enterro do jovem de 22 anos
O corpo do motorista do Uber Guilherme Maia, de 22 anos, foi enterrado nesta terça-feira (25), às 10h, no cemitério Parque da Saudade, em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza. O jovem foi assassinado no último domingo (23), no Bairro Ancuri, enquanto trabalhava no aplicativo.


Durante o velório que aconteceu na noite da última segunda-feira (24), na Caixa Beneficente dos Militares do Ceará (Cabemce), amigos e companheiros de aplicativo lamentaram o ocorrido com Guilherme e pediram também mais segurança na cidade.


“Infelizmente, perdemos um jovem que estava trabalhando. Um rapaz que estava começando a vida. Até quando isso irá acontecer? Não temos segurança e a quem recorrer”, questiona um dos motoristas que estavam no velório da vítima.


Outro amigo do motorista comentou sobre os locais inseguros que precisam passar na Capital, e pede para que seu colega de profissão não seja apenas “mais um” na violência urbana da cidade.
“Nós sabemos que infelizmente tem essas leis em algumas comunidades, mas nunca deixamos de fazer corridas por isso, sempre vamos em todos os lugares da cidade. Independente se é taxista, Uber, táxi amigo, nós queremos continuar trabalhando. Mas será que Guilherme não entrará só para as estatísticas? É isso que não pode acontecer”, desabafou.


O caso


Guilherme Maia teria sido morto a tiros ao não obedecer ordens de criminosos da região, conforme o presidente da Associação dos Motoristas Privados Individuais de Passageiros do Ceará (Ampip-CE), Antônio Evangelista. O presidente esteve com a família da vítima prestando solidariedade ao longo da segunda-feira (24).


Para entrar no condomínio Alameda das Palmeiras, seria necessário baixar os vidros e ligar a luz interna do veículo. “Provavelmente, ele não conhecia essas regras”, diz Antônio Evangelista, que não soube informar se Guilherme trabalhava no momento em que foi assassinado.


O assassinato causou revolta nos motoristas de Uber, que realizaram manifestação nesta tarde nas ruas da cidade.

Fonte: Tribuna do Ceará 
Tecnologia do Blogger.