Header Ads

JN STUDIO

Personal preso vendia anabolizantes em academias de luxo, diz polícia

Um personal trainer preso na Operação Tarja Preta, da Polícia Civil, comercializava esteroides e anabolizantes em academias frequentadas por pessoas de alto poder aquisito nos bairros Aldeota, Meireles e Papicu, em Fortaleza. O homem também possuía uma academia no Bairro Passaré e ministrava substâncias proibidas. Outras oito pessoas foram presas suspeitas de desviar mais de 85 mil medicamentos em Fortaleza. Conforme a delegada Patrícia Bezerra, da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD), o personal trainer foi detido no estacionamento de uma academia, que fica localizada em um shopping do Bairro Papicu. No carro do suspeito foram apreendidos caixas e frascos de anabolizantes, que seriam vendidos a praticantes de musculação.
A delegada informou que as substâncias anabolizantes eram transportadas de Curitiba e chegavam ao Ceará pelos Correios. "No momento em que foi flagrado, ele estava com uma grande quantidade de anabolizantes, que seriam vendidos em academias de luxo da capital. Esse material vinha pelos Correios, mostrando que a polícia tem atuado forte no combate aos laboratórios de distribuição de anabolizantes no Ceará", detalhou a investigadora.
Na continuação das investigações, os policiais civis se deslocaram à academia do personal trainer. No local, os agentes flagraram um homem realizando uma entrega de medicamentos proibidos. Ao deixar o estabelecimento, o suspeito e um outro homem acabaram sendo presos em flagrante.
Um dos homens era proprietário de uma farmácia no Bairro Damas. No local, os policiais apreenderam medicamentos controlados que eram vendidos sem autorização.
Remédios desviados do Governo
Após a prisão do personal e dos outros dois suspeitos, a Polícia Civil conseguiu identificar os distribuidores dos remédios. Eram dois funcionários da Coordenadoria de Assistência Farmacêutica (Coasf), ligada à  Secretaria da Saúde do Ceará. Na casa de um dos suspeitos foram encontrados mais de 20 mil comprimidos.
A delegada da DCTD informou que outros profissionais da Coasf estão envolvidos no esquema.
"Os dois eram responsáveis por receber, armazenar e distribuir os medicamentos da Coasf. Eles trabalhavam no almoxarifado e eram responsáveis por diferentes tipos de remédios, o que facilitava o desvio. Eles assumiram que desviavam há oito meses, mas acreditamos que esse esquema era realizado há mais tempo", avalia a investigadora.
Em nota, a Secretaria da Saúde do Ceará afirma que dá apoio aos policiais para apurar o caso e "reafirma o compromisso com a transparência e legalidade para garantir o atendimento e a assistência à saúde da população".
No total, foram apreendidos 84.930 comprimidos; 860 fracos e ampolas de remédios variados e esteroides anabolizantes; 19 canetas de insulina e carimbos. Também foram apreendidos equipamentos eletrônicos com celulares, notebooks que serão periciados. Também foram apreendidos dois veículos e R$ 1 mil em dinheiro, que pertenciam aos integrantes da quadrilha.
Os suspeitos foram autuados em flagrante por tráfico, associação ao tráfico de drogas, falsificação, corrupção, adulteração e alteração de produtos destinados a fins terapêuticos ou medicinais. Os funcionários da Coasf também foram indiciados por perculato, que é quando o profissional utiliza da função pública para cometer o crime.


Fonte: G1 Ceará
Tecnologia do Blogger.