Header Ads

JN STUDIO

Cearense terá de recorrer a 376 multas após ter seu veículo clonado

Quando você recebe uma multa em sua casa, tem a opção de recorrer, caso discorde. Agora, imagina recorrer a mais de 300 multas?
É isso que irá acontecer com a gerente comercial Adriana Holanda. Ela teve o veículo clonado em São Paulo e, desde de dezembro de 2015, vem recebendo seguidas multas do Detran-SP. Até o momento, já são 376, num valor total de R$ 35 mil.
“Primeiro chegaram três, então tomamos um susto. Como assim uma multa de São Paulo? Questionei, mas no próprio papel da multa a gente pode recorrer, então fomos no Detran aqui de Fortaleza com toda a documentação e inclusive levei meu rastreador, porque meu carro é rastreado e mandei todos os comprovantes para São Paulo, pensando que seriam só essas três. Isso no final de 2015”, relatou a vítima.
Os tipos de multa são as mais variáveis: rodízio, excesso de velocidade, entre outras. “O que fiquei mais preocupada foi que não obtive resposta de São Paulo, pois tive também uma multa de Osasco, e tive uma resposta deferida, dentro de 30 dias, mas de São Paulo mesmo não”, explica.
Depois desse fato, a Polícia de São Paulo apreendeu o veículo, no último domingo (23), e o Detran-SP entrou em contato com a vítima. “Inclusive foi enviado o Boletim de Ocorrência com tudo para a gente. O veículo estava clonado e o carro era roubado”, disse.
Contudo, mesmo com a comprovação que o carro era clonado, Adriana terá que recorrer a mais de 300 multas. “São pelo menos 376 multas, fora as que ainda podem chegar. Acho isso injusto, recorrer multa por multa, porque já foi comprovado que o carro foi clonado”, desabafa.
De acordo com a presidente da junta administrativa de recursos e de infrações do Departamento de Trânsito do Ceará (Detran-CE), Ana Inês, cabe ao órgão de São Paulo realizar o cancelamento das infrações.
“A responsabilidade pelo cadastramento e pelo cancelamento é sempre do órgão autuador. No caso dela, as multas foram realizadas no município de São Paulo. Cabe àquele órgão fazer tanto o lançamento quanto o cancelamento das infrações”, destacou. 
Ainda conforme Ana Inês, caso Adriana tivesse ingressado com uma solicitação na comissão responsável pela questão das clonagens de veículos, o Detran-CE teria encaminhado um ofício ao órgão de trânsito autuador solicitando que fizesse a avaliação do processo. “Assim, teria feito toda a avaliação do processo e evitaria o transtorno”, disse.
Licenciamento
Outro problema é que Adriana precisa fazer o licenciamento do veículo no próximo mês, que precisa recorrer a esses R$ 35 mil em multas. “Eu quero pedir ao Detran-SP a baixa dessas multas. Eu quero pagar o que de fato eu tenho que pagar, e me isentarem de recorrer de todas essas multas”, finaliza.

Fonte: Tribuna do Ceará
Tecnologia do Blogger.