Header Ads

JN STUDIO

Somente 30% das habilitações no Ceará são de mulheres

Com 8,4 milhões de habitantes, o Ceará é um dos estados brasileiros compostos em maioria por mulheres. No entanto, esta maioria populacional de 51,6% não se aplica necessariamente quando se trata de pessoas habilitadas para dirigir veículos automotores no Estado.
Conforme uma pesquisa realizada pelo Departamento de Trânsito do Ceará (Detran-CE), apenas 30% das pessoas habilitadas em todo o Ceará são mulheres.
A análise apontou que, das 1,9 milhão de pessoas habilitadas, apenas 581.423 são mulheres. Enquanto isso, mais de 1,3 milhão são homens.
A estatística também mostra que o cálculo se repete em todo o Estado. Nenhum município do Ceará registrou a superioridade de mulheres habilitadas.
Conforme a pesquisa, a capital cearense apresenta o maior número de pessoas habilitadas do Estado. Mas o registro de inferioridade das mulheres continua. Das 984 mil pessoas habilitadas, 640 mil são homens e apenas 342 mil são mulheres.
Em Maracanaú, município localizado na Região Metropolitana de Fortaleza e que registrou o segundo lugar no ranking de pessoas com habilitação, a situação não é tão diferente. Dos 52.400 habilitados, 13.524 são mulheres e 38.876 são homens.
Segundo a gerente da Auto-Escola Ari, Mirian Lima, apesar da grande diferença, muitas mulheres estão tirando a habilitação nos últimos anos. “Aqui o número de mulheres é bem equivalente ao de homens. Temos registro que muitas mulheres estão tirando carteira, seja de carro ou de moto”, disse.
Ainda segundo a representante da auto-escola, a grande diferença apontada pela pesquisa seria o fato do preconceito e da insegurança por parte da mulher. “Muitas mulheres ainda sofrem preconceito dentro da própria casa e ficam inseguras. Mas isso tem mudado. Aqui temos uma senhora de 70 anos que está tirando a habilitação para moto. Então elas estão cada vez mais mostrando que são capazes”, destacou. 
Com 8,4 milhões de habitantes, o Ceará é um dos estados brasileiros compostos em maioria por mulheres. No entanto, esta maioria populacional de 51,6% não se aplica necessariamente quando se trata de pessoas habilitadas para dirigir veículos automotores no Estado.
Conforme uma pesquisa realizada pelo Departamento de Trânsito do Ceará (Detran-CE), apenas 30% das pessoas habilitadas em todo o Ceará são mulheres.
A análise apontou que, das 1,9 milhão de pessoas habilitadas, apenas 581.423 são mulheres. Enquanto isso, mais de 1,3 milhão são homens.
A estatística também mostra que o cálculo se repete em todo o Estado. Nenhum município do Ceará registrou a superioridade de mulheres habilitadas.
Conforme a pesquisa, a capital cearense apresenta o maior número de pessoas habilitadas do Estado. Mas o registro de inferioridade das mulheres continua. Das 984 mil pessoas habilitadas, 640 mil são homens e apenas 342 mil são mulheres.
Em Maracanaú, município localizado na Região Metropolitana de Fortaleza e que registrou o segundo lugar no ranking de pessoas com habilitação, a situação não é tão diferente. Dos 52.400 habilitados, 13.524 são mulheres e 38.876 são homens.
Segundo a gerente da Auto-Escola Ari, Mirian Lima, apesar da grande diferença, muitas mulheres estão tirando a habilitação nos últimos anos. “Aqui o número de mulheres é bem equivalente ao de homens. Temos registro que muitas mulheres estão tirando carteira, seja de carro ou de moto”, disse.
Ainda segundo a representante da auto-escola, a grande diferença apontada pela pesquisa seria o fato do preconceito e da insegurança por parte da mulher. “Muitas mulheres ainda sofrem preconceito dentro da própria casa e ficam inseguras. Mas isso tem mudado. Aqui temos uma senhora de 70 anos que está tirando a habilitação para moto. Então elas estão cada vez mais mostrando que são capazes”, destacou. 
A exemplo do que foi abordado pela profissional está a dona de casa Maria de Jesus. Aos 74 anos, a idosa nunca possuiu carteira de motorista. Segundo ela, a falta de necessidade e a insegurança de dirigir foram fatores primordiais para essa escolha.
“Eu nunca tive motivo para tirar carteira. Sempre fazia tudo de ônibus e pra tirar a carteira é muito caro. Eu já paguei para a minha filha tirar, mas pra mim mesmo não. Prefiro meu ônibus”, conta rindo a idosa.
Segurança
Apesar de serem inferiores no número de pessoas habilitadas, as mulheres, contudo, dão exemplo quando o assunto é prudência e segurança no trânsito. Conforme outra estatística apresentada pelo Detran-CE em relação ao ano passado, dos quase 10 mil acidentes envolvendo vítimas não fatais entre 30 e 59 anos, cerca de 7.900 são homens e apenas 1.764 são mulheres.
Já em relação ao número de vítimas fatais devido a acidentes de trânsito, a estatística mostra que apenas 378 mulheres faleceram, enquanto o número de homens ultrapassa a marca de 2.100 mortos.
Conforme a diretora de planejamento do Detran-CE, Lorena Moreira, a prudência do trânsito por parte da mulher tem consequências positivas . “Várias seguradoras de veículos possuem preço diferenciado de apólice para o público feminino devido a constatação delas se envolverem em menos acidentes de trânsito. As mulheres são mais cuidadosas no trânsito, respeitam mais a sinalização e possuem uma postura de mais prudência na condução dos veículos”, destaca.

Fonte: Tribuna do Ceará
Tecnologia do Blogger.