Header Ads

JN STUDIO

Pesquisa aponta defesa do uso de armas de fogo para Guarda Municipal

Tema que tem sido motivo de polêmica em todos os debates, o uso de armas de fogo pela Guarda Municipal de Fortaleza ainda divide a opinião das pessoas. Segundopesquisa realizada pelo Datafolha, 71% das 816 pessoas entrevistadas defendem o uso de armas pelos guardas municipais.
O assunto também divide a opinião dos candidatos a prefeito de Fortaleza nas eleições deste ano. Capitão Wagner (PR) pontuou o tema nos debates. Ele é um dos que defendem o armamento da Guarda. Além de proteger a população, o candidato acredita que a medida vai resguardar também a vida dos agentes.
“A gente teve guarda municipal baleado em terminal, já teve guarda municipal vítima de lesão corporal, então primeiro proteger o agente e depois ele proteger a população. Não há como ele combater o crime quando o bandido tá armado de fuzil, metralhadora, pistola e ele tá com apito e uma arma de choque. Então, ele tem que ter condição de se proteger para proteger a população”, afirma o candidato.
O candidato Tin Gomes (PHS) defende um armamento parcial, apenas para guardas que entraram na corporação nos últimos dois anos. “Não tem como armar os guardas municipais que estão há mais de 20 anos na guarda já com a idade avançada. Mesmo que você queira treinar esse quadro, não tem como fazer isso. Agora, todos os guardas de dois anos para cá e os próximos que virão, eu sou a favor de armar, treinar, como também colocar nos postos de saúde e nas escolas, para dar melhor segurança aos equipamentos e as pessoas que ali estão”, defende o candidato.
Heitor Férrer (PSB) e Francisco Gonzaga (PSTU) não concordam com a Guarda Municipal utilizando armas de fogo. João Alfredo (PSOL) acredita no desarmamento total por parte dos agentes de segurança. Luizianne Lins (PT) também é contra o uso de armas letais pela Guarda. Já Ronaldo Martins (PRB) é a favor do uso de armas de fogo.
O prefeito e candidato à reeleição, Roberto Cláudio (PDT), não se manifesta. De acordo com a assessoria de comunicação da campanha, um estudo é realizado desde o início do ano para avaliar o desempenho e as experiências de cidade brasileiras. Somente depois disso uma decisão deve ser tomada.
A pequisa que ouviu a opinião da população de Fortaleza sobre o armamento da Guarda Municipal foi encomendada pelo grupo de Comunicação O POVO e foi realizada nos dias 8 e 9 de setembro. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Fonte: Tribuna do Ceará
Tecnologia do Blogger.