Header Ads

JN STUDIO

O empreendedorismo que virou lição de autoestima

Com o título “Jaguaruana empreendedora”, eis artigo do superintendente estadual do Sebrae, Joaquim Cartaxo. Ele destaca o Programa de Educação Empreendedora que o órgão vem tocando em 15 municípios cearenses, com Jaguaruana despontando. Confira:
O empreendedorismo não se resume a abrir uma empresa. Empreende-se ao se buscar soluções de problemas comunitários ou ambientais, no enfrentamento dos desafios, na capacidade de inovar. Visando contribuir para criação da cultura empreendedora na sociedade brasileira, o Sebrae realiza o programa de educação empreendedora voltado para os ensinos fundamental, médio, superior e educação profissional. No Ceará, 35 mil alunos são beneficiados por esse programa.
Duas linhas de trabalho destacam-se: o desenvolvimento de competências empreendedoras e a possibilidade de inserção sustentada no mundo do trabalho, pautadas no modelo educacional que estimula metodologias criativas, linguagem adequada e reconhecimento das realidades locais.
Deste programa, ressalte-se o projeto Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP) voltado para estudantes do ensino fundamental. Para desenvolvê-lo, é preciso a parceria dos municípios, por meio das secretarias da Educação. Nesse momento, 15 municípios cearenses estão aplicando a metodologia JEPP; são eles: Aracati, Aracoiaba, Catunda, Farias Brito, Fortaleza, Icapuí, Irauçuba, Itarema, Jaguaribara, Jaguaruana, Meruoca, Ocara, Quixeramobim, Tauá e Uruoca.
A culminância deste processo é a realização de uma feira envolvendo todos os alunos beneficiados. É o momento em que os estudantes comercializam os produtos criados durante as atividades do curso, acompanhadas pelos professores municipais e os consultores do Sebrae.
Em Jaguaruana, no início do mês, aconteceu a II Feira da Cultura Empreendedora que reuniu mais de dois mil alunos, os quais venderam seus produtos para a comunidade local.
Em entendimento com os participantes do JEPP, todo o dinheiro arrecadado com a comercialização dos produtos se destina à realização de atividades de lazer para os alunos ou para a aquisição de equipamentos de recreação para a escola, tais como mesas de pingue-pongue, de futebol (totó), cama elástica ou computadores.
*Joaquim Cartaxo,

cartaxojoaquim@bol.com.br
Arquiteto urbanista e superintendente do Sebrae/Ceará.
Tecnologia do Blogger.