Header Ads

JN STUDIO

Uso excessivo de salto alto pode causar deformidades nos pés e tornozelos

O uso excessivo de salto alto pode trazer riscos à saúde da mulher, como lesões e deformidades nos pés e tornozelos. Problemas na coluna, joanete, entorse no tornozelo, tendinite, metatarsalgia  (dor na região dos dedos e na face plantar) e fasceíte plantar (dor no calcanhar) também podem atingir mulheres que usam salto alto por longo período.
Não existe essa história de que usar um pouco de salto faz bem. Salto não é bom para ninguém. Mexe com boa parte do centro de gravidade do corpo, com a musculatura, joelho, tornozelo e quadris”, alerta o ortopedista Michael Yury Farias.
Ele relembra os tempos em que o uso do salto era feito esporadicamente, e critica a moda atual. “Antigamente o uso era mais pontual, hoje virou calçado do trabalho e do dia a dia. É isso que preocupa os profissionais da área”, completa.
O ortopedista considera relevante a moda cíclica, quando há a variação nos tipos de calçados. “É importante não ficar só em um tipo específico. Casos como a tendência ao tênis é salutar”, pontua. Para ele, parar o uso é mais difícil do que começar, então o ideal é que as mães previnam futuros problemas com a conscientização das filhas adolescentes.
Adolescentes que iniciam o uso entre 10 e 12 anos podem apresentar problemas ainda na adolescência, e quando estiver na fase adulta, se persistir o uso, elas vão sentir esses efeitos mais acentuados, segundo Michael. As jovens que participam desse grupo podem tornar-se dependentes indefinidamente, por isso, devem iniciar o uso com cautela.
Ele considera complicado brigar com a moda e critica empresas que exigem o uso do salto como uniforme de trabalho. “A forma mais prudente é o uso ocasional, quando há uma atividade social, e não uso diário. A manutenção de maus hábitos de calçado pode acarretar em problemas e lesões graves pelas quais a mulher irá se arrepender de ter feito o uso crônico”, explica.
Joanete
A joanete [inflamação óssea do dedo grande do pé] pode ser gerada devido à predisposição familiar, doenças como artrose, tipo de pé, uso excessivo de salto e também pela utilização de sapatos com a parte da frente em formato triangular. Ao colocar uma carga muito pesada na frente dos pés, as articulações começam a ser esmagadas e afastadas, podendo ser desviadas para fora, formando o joanete.
O tratamento inicial é mais conservador, com a ajuda de aparelhos a serem usados no período noturno, com o objetivo de realinhar o dedo. Em casos mais graves é necessária uma cirurgia. Entretanto, mesmo após o procedimento, se a mulher não mudar os hábitos, a joanete pode voltar. “O sapato é o grande vilão, principalmente o de salto. Para você ter a certeza é só se perguntar: ‘por que as mulheres têm mais joanete do que homens?”, indaga.
Sintomas
Quando começam a aparecer calos, é hora de atentar para os sintomas. Este é o indicativo de que os sapatos utilizados não são adequados. Dificuldades em subir e descer escadas, agachar, correr e saltar devem ser acompanhadas com atenção. Os sintomas mais graves são o aumento da lordose, desgaste articular e cartilaginoso, sobrecarga no joelho e nos quadris.
Prevenção
Para quem necessita utilizar salto alto todos os dias é aconselhável optar por sapatos com os solados emborrachados, pois absorvem melhor o impacto. Sapatos que possuem pouca diferença da parte anterior para a posterior, como plataformas, melhoram a pisada.
Deve-se evitar saltos finos, costumeiramente chamados de “agulha”, pois oferecem mais instabilidade, e optar por saltos largos e quadrados, que distribuem melhor o peso do corpo sobre o pé.
Outra medida que pode auxiliar é a prática de exercícios físicos. Mulheres que praticam esportes ou atividades físicas com frequência envolvendo o fortalecimento de grupos musculares relacionados à movimentação da coluna, pé e tornozelo são essenciais para mulheres que precisam utilizar o salto no trabalho, como as modelos.

Pilates e treinamento funcional são exemplos de atividades que promovem o fortalecimento muscular e alongamento da musculatura. Para complementar, sempre que possível, ao sentar, a mulher deve tirar o salto e apoiar os pés no chão ou em outra base de apoio para dar conforto aos pés.

Fonte: Tribuna do Ceará
Tecnologia do Blogger.