Header Ads

JN STUDIO

Mais de 2 mil celulares são apreendidos em 4 meses nos presídios cearenses

A tentativa de acessar unidades prisionais do Ceará com aparelhos telefônicos tem ficado cada vez mais recorrente. Somente nos últimos quatro meses, mais de 2 mil celulares foram apreendidos em presídios do estado.
O caso mais recente aconteceu nesta segunda-feira (8). Pelo menos 198 aparelhos foram resgatados por agentes penitenciários no Instituto Penal Professor Olavo Oliveira II (IPPOO II), em Itaitinga, Região Metropolitana de Fortaleza, após uma vistoria de rotina. Além dos celulares, 79 baterias e 205 chips também foram encontrados.
O caso recente no IPPOO II acontece um dia depois de uma mulher ser detida ao tentar entrar com 164 celulares na Unidade Prisional Agente Luciano Andrade Lima (CPPL 1), em Itaitinga, utilizando uma barriga falsa. 
A Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado (Sejus) informou que a vistoria feita nesta segunda-feira faz parte das fiscalizações periódicas realizadas nas unidades prisionais do Ceará que tem o objetivo de coibir o uso de ilícitos por parte dos presidiários.
Após rebeliões
Mesmo com as ações efetivas dos agentes penitenciários e da Sejus de tentar coibir a entrada de aparelhos, o caso não é recente. Nos últimos meses de maio e junho, período de maior registro de rebeliões nos presídios do estado, mais de 1,2 mil celulares foram resgatados. Em junho, durante uma única vistoria, cerca de 230 celulares foram apreendidos na Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor José Jucá Neto (CPPL III), em Itaitinga.
Em julho, outros 450 celulares também foram resgatados pelos agentes penitenciários após vistorias de rotina das nas unidades.
Lei dos bloqueadores
No Ceará, um projeto de lei de autoria do Governador Camilo Santana (PT) tenta evitar a entrada desses dispositivos em presídios através do bloqueio de sinal. Apesar disso, a lei ainda não está em vigor e aguarda uma regulamentação, que já está sendo feita pela Secretaria de Justiça do Ceará (Sejus). A medida tenta impedir que criminosos dentro de presídios continuem realizando crimes e ordenando ações criminosas por meio de telefones celulares.
Em resposta a um possível bloqueio de sinal, diversos ataques e ameaças foram feitas por criminosos. Após a aprovação do projeto de lei, várias delegacias de Fortaleza foram atacadas.

Fonte: Tribuna do Ceará
Tecnologia do Blogger.