Header Ads

JN STUDIO

Recém-formados ameaçam acionar Justiça contra “calote” de empresa de fotografia

O prejuízo teria atingindo formandos de 14 turmas de universidades públicas e particulares que tentam ter acesso a fotos de festas de formaturaPelo menos 14 turmas de recém-formados na Universidade Federal do Ceará (UFC) e na Universidade de Fortaleza (Unifor) afirmam ter sido vítimas de um “calote” da empresa Ômega Produções Fotográficas, que não cumpriu com o contrato de entrega das fotos referentes a festividades de formatura. Os clientes se mobilizam para acionar judicialmente a empresa, caso a entrega das fotos não seja feita imediatamente. O responsável pela Ômega,Reginaldo Rampazzo, afirmou nesta quarta-feira (27) que há “equívoco” dos clientes.
A formanda do curso de Direito da UFC Walessa Pegado é uma das clientes que foram vítimas do atraso na entrega do produto. “A empresa, embora tenha fotografado os eventos, não confeccionou o álbum, tampouco repassou as fotografias em alta resolução. Eu havia contratado um álbum grande mais a réplica do álbum, que eu presentearia minha avó, mas, infelizmente, todas as lembranças daquele momento tão singular na minha vida e na de minha família se perderam entre a angústia e a frustração”, afirma a advogada.
Entre as turmas prejudicadas, estão formandos dos cursos de Direito, Medicina, Odontologia, Fisioterapia, Engenharia de Alimentos, Contábeis, Enfermagem e Fisioterapia.
Ao Tribuna do Ceará, o proprietário da empresa disse que está em Sobral, mas chegará a Fortaleza na quinta-feira (28) para solucionar os problemas. Ele disse que o episódio é “ridículo” e “uma inverdade” e disse ser uma “vergonha para a UFC ter um cidadão desse jeito”, em referência a um dos advogados recém-formados que denunciou o caso.
Reginaldo Rampazzo disse ainda que os clientes “não sabem ler o contrato”, em referência a críticas de imagens enviadas em baixa resolução. Em relação ao curso de Direito da UFC, ele afirma que “houve atraso”, mas os CDs com as fotos em baixa resolução para escolha dos clientes e posterior confecção dos álbuns estão disponíveis na empresa há meses, mas nem todos os formandos foram buscar.
Os depoimentos dos clientes nas redes sociais dão conta de outra realidade. Dificuldade em localizar a empresa, ameaças de falência e prejuízo estão entre os relatos. Parte dos formandos, inclusive, já teria pagado pelo serviço antecipadamente. O prejuízo pode chegar a mais de R$ 50 mil por turma, segundo os clientes.
Nesta quarta-feira (27), uma das clientes, Daniely Reis, publicou em um grupo no Facebook que foi até o escritório da empresa e falou com uma atendente. A funcionária teria dito que os arquivos estão nos computadores e não serão deletados. Ainda assim, a fabricação de álbuns tem sido de apenas dois por semana, com mais de 300 na fila de espera. A empresa alega estar em falência, mas, no Facebook, estudantes de outros cursos disseram ter fechado contrato para formaturas recentemente.
O cliente e advogado Victor Campos, integrante da comissão de formatura do Direito da UFC, afirma que o caso será judicializado pelas pessoas que foram lesadas. Em agosto, completa um ano desde a formatura dos estudantes de Direito que denunciaram o caso.
Álbum de graça
Uma das cláusulas do contrato com a Ômega afirma que o prazo máximo de entrega dos álbuns é de 40 dias úteis após a escolha. “Caso esse prazo não seja cumprido a contratada entregará o álbum inteiramente grátis inclusive com a devolução de todo o dinheiro já pago como sinal a título de multa”, diz o acordo.

Fonte: Tribuna do Ceará
Tecnologia do Blogger.