Header Ads

JN STUDIO

Ceará completa um ano sem sarampo e recebe certificação da OMS

Após um ano sem notificações de caso de sarampo, o Ceará foi reconhecido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como área  de “sustentabilidade na interrupção da cadeia de circulação do sarampo”. “Só temos a parabenizar o Ceará por ter alcançado esta importante meta. Que sirva de exemplo para outros estados e países da América Latina”, citou Merceline Dalh-Regis, presidente do Comitê de Sustentabilidade do Sarampo, d a OMS/Opas, em reunião com o governador Camilo Santana nesta quarta-feira (20).
A comissão da OMS, que conta ainda com técnicos do Ministério e da Secretaria da Saúde, fez a entrega da certificação. “Esse foi um trabalho em equipe, com uma parceria muito forte principalmente com os municípios. Graças ao esforço conjunto, conseguimos alcançar essa importante meta. Mesmo assim, o trabalho de vigilância deve ser contínuo”, disse o governador Camilo Santana.
Em setembro do ano passado, durante evento em Brasília, o Ministério da Saúde já havia anunciado a erradicação do sarampo no Ceará. Porém, para obter o certificado de sustentabilidade da interrupção da doença, a OMS leva em consideração o período de um ano do último caso, registrado no estado em 6 de julho de 2015.
“Caso não houvesse esse importante movimento integrado no Ceará, com certeza hoje não estaríamos tendo esse êxito para combater o sarampo. Para mim, era um desafio pessoal interromper esse ciclo e só temos a agradecer ao Governo do Ceará pelo trabalho”, afirmou a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues.
O secretario da Saúde do Estado, Henrique Javi, citou ainda a importância do envolvimento da população na vacinação contra a doença. “Esse é um momento muito especial para o Ceará. Completamos um ano da data em que eliminamos a cadeia de circulação do sarampo. Isso foi possível também graças ao envolvimento fundamental da população e dos municípios”.
Evento
Durante a manhã desta quarta-feira, em Fortaleza, os representantes da OMS/Opas e Ministério da Saúde participaram de encontro com autoridades locais e nacionais da saúde para avaliar a situação do sarampo e da rubéola no Brasil. Na ocasião foi atestada a sustentabilidade da interrupção do sarampo no Estado.
Além dos integrantes da comitiva da CIE, que ainda inclui o chefe da Unidade de Imunizações da OPAS-WDC, Cuauhtemoc Ruiz Matus, e as consultoras regionais da OPAS para o sarampo em Washington, Desiree Pastor e Pamela Bravo, participam da reunião a presidente do Comitê Nacional de Eliminação do Sarampo e Rubéola (CNE), Rosane Will, a coordenadora-geral do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde (CGPNI/MS), Carla Domingues, o coordenador-geral de Doenças Transmissíveis (CGDT/MS), Sérgio Nishioka, e a representante da Unidade de Família, Gênero e Curso de Vida da área de imunopreveníveis da OPAS, Samia Samad, que participaram e colaboraram para a interrupção da epidemia de sarampo no Ceará.

Fonte: Ceará Agora
Tecnologia do Blogger.