Header Ads

JN STUDIO

Temer já fala como presidente e garante: se for efetivado, não disputará reeleição

“Os votos que a senhora presidente recebeu, eu também os recebi”, disse, nesta noite de domingo, em entrevista exclusiva à jornalista Sônia Bridi, do Programa Fantástico (Globo), o presidente em exercício Michel Temer (PMDB). Ele lembrou que,  na urna eletrônica, apareciam as fotos de Dilma e dele, destacando que havia uma aliança politica, no caso do PT com o PMDB,
Temer quis rebater assim a crítica de que não teria legitimidade para estar como presidente da República.
Michel reafirmou que vai priorizar a política de crescimento do País e da pacificação. Assegurou também que não vai mexer nos avanços sociais como o Bolsa Família.
Prometeu fazer uma União entre os Estados no âmbito da segurança pública e que vai convocar os secretários estaduais da área para discutir ações. Temer lembrou que também já foi secretário da Segurança Pública de São Paulo.
Reiterou o presidente em exercício que vai enfrentar o problema da Previdência Social. Sobre crítica de ter feito um ministério só de homens, explicou ter sido inevitável fazer uma composição política, o que se exige numa democracia. Os partidos trouxeram vários nomes, mas observou estar convicto de que escolheu os melhores. A resposta foi à indagação de que prometeu uma equipe de notáveis.
Sobre ausência de mulheres em seu ministério, disse que a chefia de seu gabinete é ocupada por uma mulher. Garantiu que os ministérios da Cultura e o da Ciência e Tecnologia serão ocupadas por mulher. Sem status de ministro, indagou-se, no que disse que não é rótulo que vai provar quem trabalha e age bem.
E o senador Romero Jucá, investigado na Lava Jato, será afastado se virar réu? Temer elogiou Jucá, sua competência e disse que, sob o foco econômico, ninguém conhece o orçamento como ele, destacando que foi líder de três Governos e hoje quer ajudá-lo a governar o País. Caso vire réu, disse : “Vou examinar!’
Temer garantiu que pretende manter a cúpula da Polícia Federal, hoje investigando a Lava Jato. Sobre seu nome citado como patrocinador de um diretor na Petrobras, no caso Jorge Zelada – denúncia feita pelo senador cassado Delício do Amaral – garantiu que competia à bancada peemedebista
Sobre o possível recebimento de R$ 5 milhões para sua campanha, que teria vindo de uma empreiteira, Temer descartou irregularidade.
O presidente em exercício, indagado se a renúncia de Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara, facilitaria as coisas, disse: “Tanto faz. Pra mim, não altera nada!”  O TSE investiga a chapa Dilma-Temer por doações ilícitas, Michel reiterou que a irregularidade envolveria a campanha da presidente afastada e não a dele.
Que legado gostaria de deixar caso se confirme no cargo? “Diminuir o desemprego e pacificar o País”. Garantiu Temer que, cumprindo essa tarefa, não postulará reeleição: “Estaria satisfeito”, enfatizou.
DETALHE – O presidente em exercício deu entrevista lembrando que “ainda” não é o titular do Palácio do Planalto.

Fonte: Blog do Eliomar 
Tecnologia do Blogger.