Header Ads

JN STUDIO

Reciclagem muda vidas de famílias nos distritos de Sobral.


Sobral. Há cinco anos, o distrito de Aracatiaçu, distante cerca de 60 quilômetros de Sobral, se transformou em exemplo a ser seguido no que diz respeito à destinação correta do lixo. Apesar da coleta regular, que semanalmente chegava a retirar daquele distrito cerca de quatro caminhões apinhados de resíduos, todo o esforço parecia não diminuir em nada no impacto ambiental, e até mesmo social no cotidiano daquelas famílias, que conviviam com a realidade dos lixões, ainda espalhados por alguns municípios cearenses.

A iniciativa surgiu em 2011, com ações realizadas pelo padre Manoelito Vieira, para a Campanha da Fraternidade daquele ano, que trazia o lema "Fraternidade e a Vida do Planeta". A preocupação com o meio ambiente por conta do excesso de lixo pelas ruas da pequena cidade aos poucos foi sendo transformada em motivação para que algo fosse feito.

O trabalho começou timidamente, mas foi atraindo a atenção dos moradores para a questão, até que o religioso conseguiu fundar, quatro anos depois, a Associação dos Agentes Ambientais da Região Leste de Sobral (Agamsol). "Eu queria muito poder ajudar a diminuir o acúmulo de resíduos que tinha na região e, ao mesmo tempo, fornecer possibilidades de renda para as pessoas mais pobres", disse.

Engajamento

A Associação conta com sete pessoas engajadas que conseguiram diminuir consideravelmente a quantidade de lixo acumulado, gerando queda de 75% do volume total de resíduos sólidos que são transportados toda semana pela coleta regular até o Aterro Sanitário de Sobral.

Um dos mais engajados no trabalho em Aracatiaçu é Francisco Raimundo Coelho Lima. O agricultor que vivia de pequenos bicos como auxiliar de pedreiro para sustentar mulher e filhos, aos poucos foi-se envolvendo com o grupo e prosperando com a força de trabalho. Em busca de renda, todos se organizaram para evoluir de catadores a recicladores. Outro exemplo de superação por meio da coleta, também vem de Aracatiaçu. Francisco de Assis Ferreira da Silva sempre se sentiu vitimizado por conta da deficiência na fala e do comportamento agitado que fizeram dele vítima de piadas por parte de algumas pessoas do lugar.

Estudantes
Após o sucesso do trabalho em Aracatiaçu, o padre Manoelito Vieira foi transferido para Pires Ferreira, onde iniciou nova base de conscientização dos moradores. Há dois meses, a Educação Ambiental, assim como a coleta seletiva, passaram a fazer parte do cotidiano daquelas famílias.

Os alunos da rede municipal também se engajaram em campanhas educativas e visitas porta a porta. Hoje, dez pessoas realizam a coleta seletiva, que separa papelão, plástico, latas e garrafas PET, do lixo comum. Ao todo, cerca de dez toneladas por mês tem sido organizadas para reciclagem. Todo o material é enviado para triagem em Aracatiaçu, e depois encaminhado a empresas de reciclagem. "Estamos ampliando o serviço de coleta seletiva, buscando meios de subsistência das pessoas engajadas com as causas ambientais. Aos poucos, essa consciência vai tomando as pessoas, fazendo parte do dia a dia delas, cada vez que abrimos novas frentes", disse Manoelito Vieira.

Com apoio da Secretaria de Conservação e Serviços Públicos (Seconv), responsável pela coleta sistemática ao longo da semana nos bairros e distritos de Sobral, a Coleta Seletiva Agendada, implantada em 2014, dá à população a oportunidade de troca dos materiais recicláveis por bônus na conta de energia. Por meio da parceria com a Coelce, o Programa Ecoelce chega a todos os bairros seguindo um calendário de atendimento.


Cobertura
Segundo Cirliane Viana, gerente de Coleta, "além do trabalho já realizado nos bairros de Sobral, conseguimos, com apoio desses grupos distritais, montar uma cobertura que abrange a região leste do Município, que reúne as localidades de Caracará, Bilheira, Vassouras e Patos. Temos dois galpões em Aracatiaçu e Taperuaba que recebem esse material, contribuindo muito para a diminuição de todo o lixo que é depositado na sede".

Em setembro de 2015, os prefeitos do Consórcio Municipal para Destinação Final de Resíduos Sólidos (Comderes), que representam 15 municípios da região Norte, se reuniram com o secretário das Cidades, Lúcio Ferreira Gomes, para mais uma discussão sobre a implantação da esperada Central de Tratamento de Resíduos (CTR).

A Central tem como objetivo substituir os lixões e proporcionar o gerenciamento de diversos tipos de resíduos, reduzindo a poluição e os impactos ambientais e sociais. Ela será dividida em quatro partes. A primeira é formada por um central de compostagem, que transforma o lixo orgânico em adubo. A segunda será destinada ao tratamento de resíduos da construção civil.

O Comderes é formado por Sobral, Alcântaras, Cariré, Coreaú, Forquilha, Frecheirinha, Graça, Groaíras, Massapê, Meruoca, Moraújo, Mucambo, Pacujá, Santana do Acaraú e Senador Sá. "Teremos, ainda nesse semestre, a instalação de quatro Pontos de Entrega Voluntária (PEV), por meio da Secretaria das Cidades, onde a população poderá deixar todo tipo de material de construção, resíduos vegetais e material reciclável", disse secretário de Conservação e Serviços Públicos, Jorge Trindade.


Fonte: Diário do Nordeste
Tecnologia do Blogger.