TAPERUABA NOTÍCIAS

terça-feira, 7 de julho de 2015

Ingressos da festa do dia 11 com Forrozão karkara e Sertanós já estão á venda.

Adquira já o seu ingresso antecipado no Mercantil Taperuaba, em Vassouras no Mercadinho Reinaldo e em Aracatiaçu com Madruga, saída de ônibus de Taperuaba com J. Elias Turismo e de Aracatiaçu com Adauto Barbosa. Observação passagem grátis. 

Governo do Estado restaura rodovia CE-321


O Departamento Estadual de Rodovias – DER, através do Programa Viário de Integração e Logística – Ceará IV, está restaurando a rodovia CE-321, no trecho que liga os municípios de Mucambo, Pacujá e Graça, na região norte do estado. Ao todo, serão restaurados 47 quilômetros de malha viária. 

As obras encontram-se com 57% de execução. O trabalho inclui serviços preliminares e auxiliares, drenagem, pavimentação, obras d'arte correntes, obras d'arte especiais, sinalização (horizontal e vertical), proteção ambiental e outros. O total investido será de, aproximadamente, R$ 20 milhões, recursos do Tesouro Estadual e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Para o diretor de obras do DER, Quirino Ponte, a ação atende as demandas do crescimento econômico do Estado. “Com o aumento e a melhoria da rede viária, é possível dar capilaridade ao setor produtivo e ainda estimular as viagens turísticas para diversas regiões cearenses”, completa Quirino Ponte.
Fonte: Sobral em Revista 

Governo permite redução de jornada e de salários

Com o objetivo de evitar demissões dos trabalhadores por empresas em dificuldades financeiras, o Governo Federal editou MP que permite a redução temporária da jornada de trabalho e do salário em até 30%
O governo criou ontem um programa que permite a redução em até 30% da jornada de trabalho, com redução de salários. Chamado de PPE (Programa de Proteção ao Emprego), ele será enviado como medida provisória ao Congresso e começa a valer a partir de sua publicação, nesta terça.
A medida tem o objetivo de conter demissões, principalmente na indústria, e foi negociada pelo Palácio do Planalto com centrais sindicais e o setor produtivo.
O governo vai complementar metade da redução da renda do trabalhador com recursos do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador). Por exemplo, um trabalhador que recebe R$ 2.500 e tiver redução de 30% da jornada, passará a receber R$ 2.125, sendo R$ 350 pagos com recursos do FAT e R$ 2.125 pela empresa.
Essa complementação, no entanto, terá um teto de R$ 900,84. Havendo redução de 30% da jornada, por exemplo, a perda do empregado será maior que 15% do seu salário se ganhar mais que R$ 6.000 - no caso de um salário de R$ 7.000, por exemplo, a perda será de 17,13%.
Vigência
O programa terá vigência até o fim de 2016 e as empresas terão até dezembro deste ano para aderir ao programa. O trabalhador poderá ter sua jornada reduzida por seis meses, prazo prorrogável por mais seis meses. 
Uma empresa só poderá lançar mão do programa em caso de crise econômica, que deve ser comprovada pela empresa ao sindicato da categoria e ao governo federal. Esse problema econômico não pode ser motivado por má gestão.
As empresas que aderirem ao programa não poderão dispensar os empregados que tiveram sua jornada reduzida enquanto vigorar o regime diferenciado de trabalho.
No fim do programa, o trabalhador não poderá ser demitido por um prazo equivalente a um terço do período de adesão.
Ministros da equipe econômica defenderam o programa como bom para o trabalhador, que não é demitido e tem seus direitos trabalhistas preservados, e também para a empresa, que tem gastos reduzidos e investimentos em mão de obra preservados. 

Pedaladas
Após a apresentação do PPE, a presidente DilmaRousseff, preocupada com os desdobramentos de uma possível rejeição das contas do governo pelo TCU (Tribunal de Contas da União), montou uma operação de "defesa prévia" do Palácio do Planalto e pediu que os parlamentares da base aliada a defendam no Congresso. 

O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, e o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, fizeram uma apresentação sobre as explicações que o governo dará ao TCU no dia 21 de junho a respeito das chamadas "pedaladas fiscais", prática condenada pelo órgão.

A presidente ponderou que as "pedaladas fiscais" eram usadas por outros governos e disse que a prática foi apenas uma operação cotidiana entre o Tesouro e a Caixa. (Folhapress)

Fonte; O Povo 

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Atenção: As Carteiras de Identidade tiradas no I Ação Global Cidadã do Bairro de Vassouras já chegaram.

             Já se encontram no Espaço Cultural de Taperuaba as Carteiras de Identidade expedidas no I Ação Global Cidadã do bairro de Vassouras (clique AQUI), com tudo aqueles que conseguiram expedir seu RG deve procurar no horário da manhã ou tarde a articuladora social, Cilá Ávila, no Espaço Cultural, a coordenadora do Espaço Cultural de Taperuaba, Socorrinha Brasileiro, agradece á todos e informa que mais ações como essas deverão estar chegando.

Paralisação de motoristas e cobradores em Fortaleza está mantida para esta terça-feira.

Reunião entre representantes dos trabalhadores e empresários não terminou em acordo.
. 
Usuários do transporte público de Fortaleza devem ficar atentos: a greve dos motoristas e cobradores começa  nos primeiros minutos desta terça-feira (7) e será mantida por tempo indeterminado. A decisão foi mantida após reunião realizada nesta segunda-feira (5) entre representantes dos trabalhadores e empresários.
As principais exigências do Sintro são reajuste de 13% nos salários, aumento do valor da cesta básica para R$ 130 e do vale­ refeição diário para R$ 13, e custeio de 100% do plano de saúde. As negociações começaram em maio. Desde o dia 13 de junho a categoria encontra-se em estado de greve.
O presidente do Sintro, Domingo Neto, garante que a lei que decreta que pelo menos 30% da frota deverá está circulando durante a greve será respeitada. O Sindiônibus solicitou à Justiça o aumento desse percentual para 80% nos horários de pico e 60% nos demais horários, mas ainda não houve resposta, segundo sua assessoria de imprensa.


Fonte: Ceará News 7.

Prefeito de Sobral é convidado para Programa de Desenvolvimento da Primeira Infância, da Universidade de Havard.

O prefeito de Sobral, Veveu Arruda, participará entre os dias 9 e 14 de agosto, na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, de um curso de liderança executiva, como parte do Programa de Liderança Executiva no Desenvolvimento da Primeira Infância, atendendo convite do Núcleo Ciência Pela Infância (NCPI). O Programa será ministrado por pesquisadores e profissionais de nível internacional que lidam com o desenvolvimento da primeira infância e a implantação de programas e políticas públicas.

A participação do prefeito sobralense reforça o empenho da gestão em garantir a implementação de ações voltadas para a manutenção dos direitos das crianças, assim como a melhoria na qualidade de vida desse pequenos cidadãos. O curso irá proporcionar um plano de ação que irá reunir todas as estratégias adotadas pelo Município, como a universalização da 'primeira escola', por meio da construção de Centros de Educação infantil (CEI).

O Programa de Liderança Executiva em Desenvolvimento da Primeira Infância (DPI) pretende engajar políticos, gestores públicos e do terceiro setor em um diálogo em termos da ciência do desenvolvimento da Primeira Infância e como as lideranças públicas podem aplicar a ciência para minimizar alguns dos maiores problemas sociais brasileiros. O programa vai culminar com o desenvolvimento, por cada um dos participantes, de uma proposta de projeto de base científica para fortalecer as políticas ou programas de Primeira infância em sua região ou área de atuação.

Fonte: Sobral em Revista.

Movimentos sociais lançam manifesto contra golpe da direita.

Confira o manifesto, na íntegra, com assinaturas atualizadas, clicando no título. Para incluir sua assinatura no manifesto, mande email para assinaturamanifesto@gmail.com.

Nós, militantes de movimentos populares, sindicais, pastorais e partidos políticos, manifestamos o que segue:
1. Não aceitaremos a quebra da legalidade democrática, sob que pretexto for.
2. O povo brasileiro foi as urnas e escolheu, para um mandato de quatro anos, a presidenta da República, 27 governadores de estado, os deputados e deputadas que compõem a Câmara dos Deputados e as Assembleias Legislativas, assim como elegeu para um mandato de 8 anos 1/3 do Senado Federal. Os inconformados com o resultado das eleições ou com as ações dos mandatos recém-nomeados têm todo o direito de fazer oposição, manifestar-se e lançar mão de todos os recursos previstos em lei. Mas consideramos inaceitável e nos insurgimos contra as reiteradas tentativas de setores da oposição e do oligopólio da mídia, que buscam criar, através de procedimentos ilegais, pretextos artificiais para a interrupção da legalidade democrática.
3. O povo brasileiro escolheu, em 1993, manter o presidencialismo. Desde então, a relação entre o presidente da República e o Congresso Nacional já passou por diversas fases. Mas nunca se viu o que se está vendo agora: a tentativa, por parte do presidente da Câmara dos Deputados, às vezes em conluio com o presidente do Senado, de usurpar os poderes presidenciais e impor, ao país, uma pauta conservadora que não foi a vitoriosa nas eleições de 2014. Contra esta coalizão eventual que no momento prevalece no Congresso Nacional – disposta a aprovar uma reforma política conservadora, a redução da maioridade penal, a violação da CLT via aprovação do PL 4330, a alteração na Lei da Partilha, dentre tantas outras medidas – convocamos o povo brasileiro a manifestar-se, a pressionar os legisladores, para que respeitem os direitos das verdadeiras maiorias, a democracia, os direitos sociais, os direitos dos trabalhadores e trabalhadoras, os direitos humanos, os direitos das mulheres, da juventude, dos negros e negras, dos LGBTT, dos povos indígenas, das comunidades quilombolas, o direito ao bem-estar, ao desenvolvimento e à soberania nacional.
4. A Constituição Brasileira de 1988 estabelece a separação e o equilíbrio entre os poderes. Os poderes Executivo e Legislativo são submetidos regularmente ao crivo popular. Mas só recentemente o poder Judiciário começou a experimentar formas ainda muito tímidas de supervisão, e basicamente pelos seus próprios integrantes. E esta supervisão vem demonstrando o que todos sabíamos desde há muito: a corrupção, o nepotismo, a arbitrariedade e os altos salários são pragas que também afetam o Poder Judiciário, assim como o Ministério Público. O mais grave, contudo, é a disposição que setores do Judiciário e do Ministério Público vem crescentemente demonstrando, de querer substituir o papel dos outros poderes, assumir papel de Polícia e desrespeitar a Constituição. Convocamos todos os setores democráticos a reafirmar as liberdades constitucionais básicas, entre as quais a de que ninguém será considerado culpado sem devido julgamento: justiça sim, justiceiros não!
5. A Constituição Brasileira de 1988 proíbe o monopólio na Comunicação. Apesar disto, os meios de comunicação no Brasil são controlados por um oligopólio. Contra este pequeno número de empresas de natureza familiar, que corrompe e distorce cotidianamente a verdade, a serviço dos seus interesses políticos e empresariais, chamamos os setores democráticos e populares a lutar em defesa da Lei da Mídia Democrática, que garanta a verdadeira liberdade de expressão, de comunicação e de imprensa.
6. Um consórcio entre forças políticas conservadoras, o oligopólio da mídia, setores do judiciário e da Polícia trabalham para quebrar a legalidade democrática. Aproveitam-se para isto de erros cometidos por setores democráticos e populares, entre os quais aqueles cometidos pelo governo federal. Os que assinam este Manifesto não confundem as coisas: estamos na linha de frente da luta por mudanças profundas no país, por outra política econômica, contra o ajuste fiscal e contra a corrupção. E por isto mesmo não aceitaremos nenhuma quebra da legalidade.
7. Concluímos manifestando nossa total solidariedade à luta do povo grego por soberania, democracia e bem-estar, contra as imposições do capital financeiro transnacional.
Em defesa dos direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras!
Em defesa dos direitos sociais do povo brasileiro!
Em defesa da democracia!
Em defesa da soberania nacional!
Em defesa das reformas estruturais e populares!
Em defesa da integração latino-americana!
Brasil, 1 de julho de 2015
Entidades
ARPUB (Associação das Rádios Públicas do Brasil)
Associação Bujaruense dos Agricultores e Agricultoras
Central das Associações Comunitária de Ocupantes e Assentados do Semi-árido Baiano – BOASB – BA
Central de Movimentos Populares
Central dos Trabalhadores e das Trabalhadoras do Brasil
Centro de Direitos Humanos de Cascavel / PR
Coletivo de Movimentos Populares de Minas Gerais – Quem Luta Educa
Comissão Pastoral da Terra- CPT
CONEN – Coordenação Nacional de Entidades Negras
CONFETAM/CUT (Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal)
Consulta Popular
FNDC (Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação)
Fórum Brasileiro de Economia Solidária (FBES)
FUP (Federação Única dos Petroleiros)
Levante Popular da Juventude.
Marcha Mundial de Mulheres
Movimento Camponês Popular
Movimento Cultural de Olho na Justiça – Mojus
Movimento dos Atingidos por Barragens – MAB
Movimento dos Pequenos Agricultores – MPA
Movimento dos Pequenos Agricultores MPA
Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras do campo – MTC BRASIL
Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST
Movimento Nacional pela Soberania Popular Frente à Mineração (MAM)
Observatório da Mulher
Pastorais Sociais de Santarém – Pará
Pastoral da Juventude Rural
Refundação Comunista – DF
Sindicatos de Assalariados Rurais de Minas Gerais
Parlamentares
Ana Lúcia (deputada estadual PT/SE)
Deodato Ramalho (vereador PT Fortaleza)
Dionilso Marcon (deputado federal PT RS)
Durval Ângelo (deputado Estadual PT-MG)
Edegar Pretto (deputado estadual PT-RS)
João Daniel (deputado federal PT-SE)
Paulo Teixeira (deputado federal, PT-SP)
Rogério Correia (deputado estadual PT-MG)
Ulysses Gomes (deputado estadual PT-MG)
Valmir Assunção (deputado federal PT-BA)
Vicentinho (deputado federal PT-SP)
Assinaturas individuais
Alessandra Silva de Sousa (Servidora Pública)
Ana Corbisier (socióloga)
Ana Maria Naccache (publicitária)
Ana Rita Esgario (ex-senadora PT/ES)
André Lepikson (servidor federal)
Angela Mendes (Comitê Chico Mendes – AC)
Anivaldo Padilha (Metodista, CPMVJ)
Antônio Vélez (militante PT/AM)
Ary Vanazzi (presidente do PT Rio Grande do Sul)
Beatriz Cerqueira (presidenta da CUT Minas e coordenadora do Sind-UTE MG)
Breno Altman (jornalista)
Bruno Elias (executiva nacional do PT)
Catiane Cinelli (Movimento de Mulheres Camponesas)
Cida de Jesus (Presidente Estadual do PT-MG)
Clóvis Francisco do Nascimento Filho (Fisenge)
Conceição Oliveira (blogueira)
Dermeval Saviani (Professor Emérito da UNICAMP e Pesquisador Emérito do CNPq)
Dóris de Arruda C. da Cunha (UFPE/UNICAP)
Eunice Cheguevara (ONG Moradia e Cidadania MA)
Fabio Konder Comparato (professor)
Fátima Freire (militante do PT Campinas)
Flávio Jorge (Conen)
Fr. Luiz Carlos Susin (Secretário Geral do Fórum Mundial de Teologia e Libertação)
Heloísa Fernandes (socióloga, professora da USP e da Escola Nacional Florestan Fernandes)
Iriny Lopes (ex-deputada federal ex-ministra chefe da SPM e militante DH)
Israel Fonseca Neto (petroleiro)
Jandyra Uehara (executiva nacional da CUT)
João Antônio de Moraes (Federação Única dos Petroleiros, CUT)
João Pedro Stédile (militante do MST e Via Campesina)
José Maria Rangel (Coordenador da FUP)
Kenarik Boujikian (cofundadora da Associação Juízes para a Democracia)
Laryssa Sampaio (Levante Popular da Juventude)
Laura Tavares (professora)
Leda Regis (bióloga)
Leonardo Weber (servidor público estadual – PB)
Luis Sabanay (Pastor Presbiteriano)
Luiza Helena da Silva Christov (Instituto de Artes da Unesp)
Marcos Aurelio Werneck (aposentado)
Marcos Vinicius Lorenzoni Domingues (Petrofisico Internacional residente em Milão Itália)
Marcus Nascimento (roteirista)
Maria Cecilia Barbosa de Oliveira (Taboão da Serra – São Paulo)
Maria Cristina Biani (economista)
Maria de Lourdes Rocha (Professora São Paulo/SP)
Maria Inês Amarante (professora universitária – UNILA)
Mário Augusto Jakobskind (jornalista)
Michael Nienow (designer)
Miguel do Rosário (Blogueiro – O Cafezinho)
Miriam Amorim Coelho (professora aposentada)
Moab Acioli (professor da Unicap e da Universidade de Pernambuco)
Nilmario Miranda (Secretário de Governo de Direitos Humanos e Promoção da Cidadania em Minas Gerais)
Olímpio Alves dos Santos (Senge-RJ)
Orlando Guilhon (FNDC)
Pedro Brendo Félix (militante do PT/RN)
Pedro C. P. Veloso dos Anjos (produtor de cinema)
Rachel Moreno (Observatório da Mulher)
Raimundo Bonfim (coordenador geral da Central de Movimentos Populares-SP)
Regina Cruz (Presidenta do Diretório do PCdoB de Mundo Novo, BA)
Rejane Galvão Coutinho (professora universitária Unesp)
Ricardo Gebrim (Consulta Popular)
Rita Maria Diniz Zozzoli (UFAL)
Roberto Amaral
Rodrigo Vianna (jornalista)
Rogério Carvalho (presidente do PT/SE)
Rosa Maria Feijó (servidora pública aposentada)
Sandra Alves (Movimento Camponês Popular)
Sandra Valongueiro (pesquisadora da UFPE)
Shakespeare Martins (Direção Nacional da CUT)
Sheila Grecco (empresária, historiadora e jornalista)
Silvia Silveira (Professora Aposentada)
Silvia Souza (Publicitária)
Sonia Sampaio (ex-dirigente da APEOESP/ professora aposentada-SP)
Soraya Zanforlin (servidora pública)
Tarso Genro (militante do PT)
Ualid Rabah (militante do Movimento Nacional Palestino no Brasil e diretor de Relações Institucionais da FEPAL – Federação Árabe Palestina do Brasil)
Vagner Freitas de Moraes (Presidente Nacional da CUT)
Valter Pomar (militante do PT)
Vera Delerue (economista aposentada)
Vladimir Sacchetta (jornalista/pesquisador SP)
Abdon Franklin de Meiroz Grilo (servidor público aposentado)
Adilson Nascimento dos Santos (militante do PT)
Adolfo Pinheiro (MAV-PTSP)
Adriana Gilioli Citino (professora)
Adriana O. Magalhães (direção CUT SP)
Adriano (dirigente Nacional do MTC-Brasil)
Adriano de Oliveira (Diretório Nacional do PT)
Adriano Sabino Barbosa (presidente PT de Santa Rita de Caldas MG)
Albineiar Plaza Pinto (Grupo Feminista Autônomo OFICINA MULHER /Forum Goiano de Mulheres-FGM / Articulação de Mulheres Brasileiras-AMB)
Alessandro Bandeira Duarte (Professor de Filosofia da UFRRJ)
Alexandre Neto (músico)
Alexandre Pilati (Prof. Universidade de Brasília)
Alexandrina Luz Conceição (Professora do Programa de Pós Graduação da UFS)
Allan Rodrigo Alcantara (Coordenação do Setorial Nacional Comunitário do PT)
Alvaro Marinho (Designer e artista visual)
Álvaro Valério Batista de Pádua (membro da Executiva do PMDB da cidade de Trindade, GO)
Matéria na integra clique AQUI.

Fonte: O Cafezinho.

Cid Gomes diz que está na hora de um Ferreira Gomes voltar a Prefeitura de Sobral.

Em sua rápida passagem pelo distrito de Jaibaras, no último sábado (4), o ex-governador e ex-prefeito de Sobral, Cid Gomes, se manifestou pela primeira vez em público sobre a política sobralense desde que deixou o Governo do Estado, em 1°de janeiro de 2015.

              Falando aos convidados do almoço promovido em sua homenagem pelo vereador Carlos do Calisto, Cid Gomes questionou as conversas espalhadas na cidade pelos seus opositores, que dizem que chegou a hora dos Ferreira Gomes deixarem a Prefeitura de Sobral.

                Em tom de brincadeira, e com a mira certeira, Cid disse que os Ferreira Gomes deixaram a política sobralense à 8 anos, desde que ele próprio deixou o comando do executivo municipal.

                  "O Leônidas é Cristino, não é Ferreira Gomes. O Veveu é Arruda, não é Ferreira Gomes. Será que não está na hora é de voltar um Ferreira Gomes a prefeitura de Sobral?"

                   Bastante aplaudido, Cid Gomes não disse quem dos FG's poderá ser o candidato. Se ele próprio ou o irmão caçula Ivo, o nome mais provável para entrar na disputa.


Fonte: Sobral em Revista

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | cheap international calls