quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Professor universitário pede emprego no semáforo

Com ampla experiência e desempregado há seis meses, profissional de 61 anos resolveu distribuir cartões com "minicurrículos" no trânsito; situação expõe dificuldades de recolocação profissional entre pessoas mais velhas.
Desempregado há seis meses, o professor e analista de sistemas Jair da Silva busca emprego no trânsito de São Paulo: "O que ia fazer? Começa a bater desespero" "Pelo amor de Deus, tome cuidado na rua", recomenda a aposentada Eleni da Silva Teixeira ao marido. O professor e analista de sistemas Jair da Silva, 61 anos, está a caminho de um cruzamento nas imediações de casa, no Jardim São Paulo, bairro de classe média na zona norte da capital paulista. Ele chega a uma esquina e olha para o semáforo, a tempo de ajeitar o terno e os cabelos brancos antes que três carros parem. "Só esses?", lamenta. Silva decide passar a vez. O sinal abre e fecha - agora a quantidade de carros é suficiente. Aproxima-se do primeiro veículo, pede licença ao motorista e lhe entrega um cartão de visita. Na frente do cartão, nome, telefone, e-mail e a frase "Solicito uma oportunidade profissional". No verso, as atividades que exerceu como professor universitário e gerente administrativo e de negócios. Ele repete o gesto ao segundo e ao terceiro motorista, e de nada adianta uma fila maior. A luz verde aparece, ele corre para a calçada e permanece ao lado de uma banca de jornal, ansioso para que o sinal volte a fechar. Ele chega a distribuir 300 cartões por dia no trânsito; motoristas compartilharam iniciativa do professor em redes sociais Desempregado há seis meses, é a segunda vez que procura trabalho assim em um espaço de 30 dias. A primeira foi em 28 de agosto. Um dos semáforos do Largo da Batata, na zona oeste de São Paulo, também não ajudava - era rápido, e passavam poucos carros. Silva teve que andar alguns quarteirões para encontrar um local melhor. Distribuiu trezentos cartões naquele dia. "Se o primeiro e o segundo motorista pegam o cartão, o terceiro, o quarto e o quinto também vão pegar. Se os primeiros não pegam, os demais também não." Vivendo sem emprego A família tem dificuldade para se manter. Mora em casa própria, mas a aposentadoria de Eleni paga apenas o plano de saúde do casal. Tudo seria pior não fosse o apoio do filho único, Leonardo, que cursou MBA no Canadá e está empregado. Jair da Silva trabalhou por vários anos sem registro e, durante essa fase, não contribuiu com o INSS, circunstância que lamenta. Faltam dois anos para a aposentadoria, e os meses de desemprego consumiram as reservas do casal. Mas nem sempre foi assim. Ele deu aulas de informática por mais de vinte anos em colégios e faculdades particulares. No ensino superior, foi professor, coordenador de ensino, instrutor e implantou sistemas. Também trabalhou no Grupo Pão de Açúcar, onde conheceu Eleni. Foi encarregado administrativo, deu suporte a departamentos e desenvolveu sistemas, programas e planilhas de custos, entre outras funções. Silva enviou cerca de 500 currículos online, mas até agora não conseguiu uma vaga Como não conseguiu concluir o mestrado, titulação que as faculdades em que lecionava passaram a exigir, teve de deixar o ensino superior e passou a dar cursos livres. Também prestou serviço ao Banco PanAmericano, em áreas como análise de processos e cobrança. O último emprego, em março, foi como gerente administrativo e financeiro do Instituto de Pesquisa e Educação em Saúde de São Paulo (IPESSP). Busca difícil Silva enviou cerca de 500 currículos online, mas até agora não conseguiu uma vaga. Deduz que o problema seja sua idade. "Já houve casos em que a empresa me disse: 'O senhor tem um currículo maravilhoso, mas só estamos contratando até 38 anos'." Ele enfrenta uma situação que tem se agravado no país. Uma pesquisa do SPC Brasil e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas, publicada em setembro, apontou que 34% dos idosos brasileiros afirmam que já se sentiram discriminados por causa da idade. E um estudo recente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada revelou aumento de 132% no desemprego de pessoas com mais de 59 anos em comparação entre o quarto trimestre de 2014 (último período antes da piora no mercado de trabalho) e o segundo trimestre deste ano. "O que ia fazer? Começa a bater desespero. Gerência você não arruma. Auxiliar você não arruma. Supervisor você não arruma. Você não arruma nada", diz Silva. Depois das tentativas nos serviços de emprego via internet, foi ao centro da cidade e distribuiu seu currículo aos idosos que trabalham nas ruas para empresas de recrutamento. Mesmo assim não foi procurado. Outro jeito Um dia, desanimado, deparou-se com uma proposta de impressão de cartões de visita. Personalizou o seu e mandou confeccionar mil unidades com a fotografia de um trevo de cinco folhas, raridade que nascera em um vaso de sua casa. Mostrou o cartão para a mulher e contou que iria distribuí-lo no trânsito. Para quem trabalhou em tinturaria aos 11 anos e vendeu limões na feira aos 17, não seria problema, pensou. "Vou trabalhar por mim. De onde vou tirar uma chance? Eu não tenho mais." Logo no primeiro dia, distribuiu cerca de 300 "minicurrículos". Alguns motoristas compartilharam a iniciativa em redes sociais. Um desses posts, no LinkedIn (rede social voltada a contatos profissionais), rendeu centenas de manifestações de apoio e, dias depois, outros registros na internet e uma reportagem de TV sobre o professor. "Essas mensagens são gratificantes, mas continuo desempregado", lamenta Silva. O professor com o servidor público Reginaldo Dias, que considerou a atitude do professor 'digna'; ele em ação no trânsito e o trevo de cinco folhas que ilustra seu cartão de visitas Repercussão Quando soube da história do analista de sistemas, a profissional de coaching Madalena Feliciano, da empresa Outliers Career, decidiu apoiá-lo. "Destinei uma equipe para orientá-lo sobre o atual cenário e ajudá-lo a divulgar seu currículo em empresas adequadas ao seu perfil", disse. "Também vamos prepará-lo para uma nova carreira, como a de coach profissional." A atitude de Silva também tem inspirado outras pessoas, como a engenheira de produção gaúcha Noélle de Melo, que mora no Rio e está desempregada há quatro meses. Após conversar com ele, decidiu fazer um cartão semelhante para distribuir no centro da cidade e diante de condomínios de empresas na Barra da Tijuca. "Também pretendo entregá-los em eventos e agências de RH." O professor, por sua vez, diz estar esperançoso - e ter recebido o carinho de muita gente. Ao vê-lo pedindo emprego no bairro, o servidor público Reginaldo Dias pensou que o senhor de terno fosse um candidato distribuindo "santinhos" políticos. Quando soube do que se tratava, o cumprimentou. "É uma atitude digna de quem está querendo trabalhar." Silva acaba de atualizar seu perfil profissional. Continuará a enviar dez currículos por dia e procurará semáforos em regiões com grande circulação de empresários. "Se o farol não der certo, vou distribuir na porta de restaurantes para altos executivos. Meu pavio ainda tem muito o que queimar."

Fonte: G1-CE 

Programe-se!


Justiça condena rádio a pagar multa de R$ 60 mil por fazer propaganda ilícita

A Justiça Eleitoral condenou a rádio Paraíso FM de Sobral a pagar multa de R$ 60 mil por propaganda irregular. A coligação "Mais Competência, Mais Resultados",  de Ivo Gomes, entrou com representação contra a emissora de rádio e seus profissionais por promoverem, durante a sua programação normal, campanha política para a candidatura de Moses Rodrigues, do PMDB.

Além da multa, o juiz eleitoral, André Teixeira concedeu liminar para proibir a emissora de veicular, em sua programação, qualquer ato atentatório à dignidade e honra ou dar tratamento diferenciado ao candidato do PDT.


Conforme a ação, os programas da emissora, além de favorecerem abertamente a candidatura de Moses, ofendem a honra e a imagem do candidato Ivo Gomes, consistindo em propaganda política e tratamento diferenciado entre os candidatos, o que é vedado pela legislação eleitoral.

Em sua decisão, o juiz cita que é vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística, mas que “a liberdade de expressão e de informação, porém, não são direitos absolutos, mas encontram limites dentro da própria ordem jurídica, como a dignidade da pessoa humana, a honra e a imagem das pessoas e as regras relativas à propaganda eleitoral, merecendo a intervenção da Justiça Eleitoral quando ultrapassados tais limites, durante a campanha política”.

A representação foi baseada no art. 96 da Lei n. 9.504/97 sobre propaganda eleitoral ilícita. Segundo o documento judicial, as expressões e palavras usadas nos programas da emissora de rádio “passaram dos limites da informação de interesse público ou da crítica jornalística razoável, protegidos pela liberdade de imprensa, e consistiram em verdadeira propaganda política”, o que é vedado pelo nosso ordenamento jurídico, que pretende, com tais vedações, a realização de eleições legítimas, livres do abuso do poder econômico, político ou dos meios de comunicação social.




Fonte: Folha de Sobral

Comunicado SAAE

 Devido a um problema técnico na Bomba usada para captação de água e a uma oscilação no sistema de energia elétrica na Estação de Tratamento de Água, ocorridas na noite de terça-feira, 27 de setembro, haverá uma interrupção momentânea no fornecimento de água da região, com previsão de retorno após as 17h00 horas

Cesar Barreto acompanha apresentação de Programa de governo de Ivo Gomes

Nascido em família politica, César Barreto sempre acompanhou a politica de Sobral e do Estado, inclusive já trabalhou em diversos governos. Com essa experiência, o engenheiro sobralense, vem acompanhando as movimentações em Sobral.

Recentemente, Dr. Cesar esteve em um evento de apresentação do Programa de Governo de Ivo Gomes, realizado no Pallace Buffet, onde aproximadamente 1.000 pessoas estiveram presente.

Dr. Cesar Barreto avaliou de forma positiva o plano de governo de Ivo, que tem Foco no trinômio Educação, Saúde e Geração de empregos. Sem esquecer urbanismo e saneamento e segurança publica.

Também estiveram presentes o ex-governador Ciro Gomes, a Vice-governadora, Izolda Cela e o Deputado Federal, Leônidas Cristino.

Com Informações do Blog do Tidi 

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Prisão de Palocci gera mal-estar no governo Temer e revolta no PT

Preso na manhã de ontem em decorrência da 35ª fase da Operação Lava Jato, o ex-ministro da Fazenda, Antonio Palocci, está em Curitiba até que sejam apuradas as acusações contra ele. A detenção preventiva do petista gerou mal-estar no governo Temer e revolta no PT. O ministro da Justiça, Alexandre Moraes (PSDB), deu a entender que tinha informações secretas da investigação, o que irritou o Planalto. Durante comício no interior de São Paulo, ele afirmou que mais prisões ocorreriam ainda nesta semana. A informação caiu como uma bomba no colo do governo de Michel Temer (PMDB), que já sofre acusações da oposição de ter intuito de interferir na Lava Jato.


Depois de o ex-ministro do Planejamento de Temer, Romero Jucá, ser gravado dizendo que precisava “estancar a sangria” das investigações, o governo tem tentando mostrar que não iria interferir no trabalho da Polícia Federal. Embora as declarações de Moraes possam ter complicado a situação do Planalto, o presidente foi aconselhado a não repreendê-lo imediamento, na expectativa que o assunto caiu no “esquecimento”.
No PT, lideranças acusam a Lava Jato de agir diretamente para prejudicar o partido, sobretudo na última semana antes do primeiro turno das eleições municipais. Partidários temem que as prisões de Palocci e Guido Mantega, que foi solto imediatamente mas continua na mira da PF, atrapalhem o desempenho dos candidatos petistas nas capitais. Entre eles, Fernando Haddad, que tenta reeleição na Prefeitura de São Paulo.


Acusações
A procuradora da República, Laura Gonçalves Tessler disse que o ex-ministro Antônio Palocci teve atuação “intensa e reiterada” na defesa de interesses da empreiteira Odebrecht na administração pública federal.


“Essa atuação se deu mediante a pactuação e recebimento de contrapartidas em favor do Partido dos Trabalhadores. Palocci, ao que tudo indica, atuava como gestor dessa conta tendo atuado desde 2006 até pelo menos novembro de 2013, comprovadamente, com pagamentos documentados nessa planilha”, disse a procuradora. Em email do empresário Marcelo Odebrecht, interceptado pela PF, teria ficado implícito que Palocci iria tentar compensar veto de Lula que prejudicou a empresa, através de favores futuros.


O advogado de Palocci, José Roberto Batochio, criticou a prisão de seu cliente, dizendo que tudo ocorreu de maneira secreta, ao estilo ditadura militar. “Não há necessidade de prender uma pessoa que tem domicílio certo, que foi duas vezes ministro, que pode dar todas as informações quando for intimado. É por causa do espetáculo?”, reclamou. (com agências de notícias)



Fonte: O Povo

No CE, greve dos bancários completa 3 semanas e afeta 76% das agências

Os bancários completaram a terceira semana paralisados no Ceará no início desta terça-feira (27) com adesão de 430 das 562 agências no estado, que representa 76,5% do total. O balanço é do sindicato da categoria. Uma nova rodada de negociações está marcada para esta tarde, a partir de 14 horas, entre a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e o Comando Nacional dos Bancários, em São Paulo.

Em Fortaleza, a categoria articulou um ato, com concentração na Caixa Econômica Federal da Praça do Ferreira, às 16 horas, para depois seguir à sede do sindicato, na Rua 24 de Maio, também no Bairro Centro.

O diretor do sindicato no Ceará, Bosco Mota, avalia que quando estão previstas negociações, são os dias de mobilização mais forte. "Eles [Fenaban] só negociam dessa forma. Mesmo com os bancos com muito lucro, não resolve a campanha, mas tem que resolver. Temos inflação de 10%, com 7% negociado na mesa. É um absurdo", opina.

Agências fechadas 
Nesta segunda-feira (26), das 259 unidades existentes em Fortaleza, 208 fecharam, ou seja, 80%. Já no interior, das 303 agências, 222 ficaram sem funcionar, que representa 73,2%.

Sem acordo até o momento, a greve dos bancários completou 21 dias nesta segunda-feira (26). A paralisação começou no dia 6.

A 
última proposta apresentada pelos bancos no dia 9 de setembro foi de reajuste de 7% para os salários e benefícios, mais abono de R$ 3.300 a ser pago até 10 dias após a assinatura do acordo. A proposta foi recusada pelos sindicatos. Os bancários querem reposição da inflação do período mais 5% de aumento real, valorização do piso salarial - no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 3.940,24 em junho) -, PLR de três salários mais R$ 8.317,90, além de outras reivindicações, como melhores condições de trabalho

Segundo o último balanço da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), a greve fechou 13.420 agências na segunda-feira (26).

A Fenaban não tem divulgado balanços diários de agências fechadas, mas informa que a população tem à sua disposição uma série de canais alternativos para realizar transações financeiras.

Veja como pagar contas durante a greve dos bancários

De acordo com o Banco Central, o país tem 22.676 agências bancárias instaladas, segundo último balanço.

Negociações
A categoria já havia rejeitado a primeira proposta da Fenaban - de reajuste de 6,5% sobre os salários, a PLR e os auxílios refeição, alimentação, creche, e abono de R$ 3 mil. A proposta seguinte, também rejeitada, foi de reajuste de 7% no salário, PLR e nos auxílios refeição, alimentação, creche, além de abono de R$ 3,3 mil.

Os sindicatos alegam que a oferta não cobre a inflação do período e representa uma perda de 2,39% para o bolso de cada bancário. Os bancários querem reposição da inflação do período mais 5% de aumento real, valorização do piso salarial - no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 3.940,24 em junho) -, PLR de três salários mais R$ 8.317,90, além de outras reivindicações, como melhores condições de trabalho.

A Fenaban disse em nota que a última proposta apresentada "resulta numa remuneração superior à inflação prevista para os próximos doze meses, com ganho expressivo para a maioria dos bancários".

Atendimento
Em nota, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) lembra que os clientes podem usar os caixas eletrônicos para agendamento e pagamento de contas (desde que não vencidas), saques, depósitos, emissão de folhas de cheques, transferências e saques de benefícios sociais.

Nos correspondentes bancários (postos dos Correios, casas lotéricas e supermercados), é possível também pagar contas e faturas de concessionárias de serviços públicos, sacar dinheiro e benefícios e fazer depósitos, entre outros serviços.

Greve passada
A 
última paralisação dos bancários ocorreu em outubro do ano passado e teve duração de 21 dias, com agências de bancos públicos e privados fechadas em 24 estados e do Distrito Federal. Na ocasião, a Fenaban propôs reajuste de 10%, em resposta à reivindicação de 16% da categoria.


Fonte: G1 Ceará

Prefeito Veveu Arruda entrega oficialmente estrada aos moradores do Boqueirão

Na última quinta-feira (22) o prefeito de Sobral, Clodoveu de Arruda, entregou à população de forma oficial a estrada asfaltada que recebeu o nome de Zé Leiteiro. Falando aos presentes, o prefeito afirmou: a estrada foi entregue oficialmente pelo prefeito Veveu Arruda.

A estrada com 11 Km de extensão recebeu pavimentação asfáltica e sinalizações horizontal e vertical, a mesma recebeu o nome de estrada "Zé Leiteiro". “Estamos felizes por atender antiga reivindicação dos moradores do boqueirão”, disse Veveu Arruda.

(com informações Blog do Marcelo Marques)

Reforma da Previdência pode ser enviada só após as eleições

O governo Michel Temer voltou a indicar que deve deixar o envio da proposta da reforma da Previdência para depois do primeiro turno das eleições municipais. O ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, voltou a defender a importância de o texto ser debatido com representantes dos trabalhadores e empregadores antes de mandar o texto para o Congresso. “Acho que tudo o que for feito para facilitar a tramitação é bem-vindo”, disse.
Geddel se reuniu com o presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah, que saiu dizendo que o ministro vai fazer o “impossível” para convencer Temer da necessidade de adiar o envio da proposta aos parlamentares para que seja debatida com as centrais sindicais. “O presidente prometeu que faria uma rodada de conversas com as centrais. Espero que cumpra a promessa”, afirmou.
O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e o do Planejamento, Dyogo Oliveira, se reuniram nessa segunda-feira, 26, com técnicos das duas Pastas e da Fazenda para fechar os detalhes da proposta. Está marcada para terça-feira uma nova rodada de discussões.
Presidente da terceira maior central do País, Patah disse que este não é o momento para o governo apresentar o texto ao Congresso. “Normalmente, as mudanças estão sempre recaindo nas costas dos trabalhadores”, criticou. Segundo ele, a promessa de Temer feita a “dez parlamentares” não pode passar por cima de um compromisso com os trabalhadores.
Prazo
Por pressão da cúpula do PSDB, Temer acertou no início do mês que proposta seria enviada até o dia 30 deste mês. Sendo enviada perto da eleição, a proposta teria menor influência política na campanha, agradando aos parlamentares da base, e faria com que Temer cumpra a palavra com o PSDB, enviando a proposta ainda neste mês e evitando ser acusado de “estelionato eleitoral”.
Patah disse ainda que o ministro Geddel afirmou que o texto da reforma ainda não está pronto, mas com algumas questões já definidas, como a idade mínima de 65 anos, ponto já defendido publicamente por Padilha. Segundo ele, a conversa de ontem serviu para que os sindicalistas mostrassem sua preocupação com o tema.

Fonte: Ceará Agora

Candidato “Bode 90” do município Jati está desaparecido

O Bode 90, que surgiu como voto de protesto à candidatura única na prefeitura da cidade de Jati, está sumido desde o último sábado (24). Algumas pessoas na cidade, que fica localizada no Sul do Estado, acreditam que o animal tenha sido vítima de um crime político, como é citado na matéria da Rede Jangadeiro FM.
Depois de chamar tanta atenção por sua possível candidatura na eleição do dia 2 de outubro para o município de Jati, o Bode 90 ganhou repercussão em todo país e agora está “desaparecido”.
A candidatura do bode foi a forma que a oposição da chapa da atual candidata à reeleição, Maria de Jesus (PSD), conhecida como Neta, encontrou de disputar as eleições após o seu candidato, o médico doutor Jarbas, ter registro negado pela Justiça Eleitoral por não ter se descompatibilizado do programa “Mais Médicos” a tempo de participar da disputa.
O médico explica que o Bode 90 foi comprado por ele, mas a população de Jati contrária à candidatura única, tinha admiração pelo símbolo. O Bode 90 foi visto pela última vez no sábado (24), na fazenda Matulão, em Jati. Doutor Jarbas fala do assédio que o animal tinha devido ao sucesso da sua campanha.
O médico fala ainda que existem especulações que o sumiço do animal tenha relação com a política, já que na região da fazenda onde ele repousava, após cumprir sua agenda eleitoral, nunca haviam sido registrados casos de roubo de animais.
“Ele era bem assediado pelos eleitores. Tinha umas pessoas que não aceitam esse tipo de administração que acontece na nossa terra. O sumiço do bode pode ter uma ligação política. Não é comum ter esse tipo de roubo e não temos esse histórico. Deve ter sido algo premeditado.
O caseiro da fazenda Matulão já registrou um boletim de ocorrência na Delegacia de Jati, e a população aguarda o desfecho das investigações.

Fonte: Tribuna do Ceará




Maioria dos fortalezenses acredita que álcool aumenta violência

Para 73% dos fortalezenses entrevistados na pesquisa O POVO/Datafolha, fechar mais cedo locais que vendem bebidas alcoólicas contribuiria para reduzir a violência na Cidade Para 89% dos fortalezenses, o consumo de bebida alcoólica contribui para o aumento da violência na Capital. Maioria apontou ainda que, se estabelecimentos que vendem bebida alcoólica fechassem mais cedo, haveria redução nos índices de criminalidade. Os dados são da pesquisa O POVO/Datafolha, realizada nos dias 22 e 23 deste mês. 
Do total de entrevistados, 73% disseram considerar que a regulação do horário de venda de bebidas traria mais segurança para a Cidade. Há 53% que acham que a regulação contribuiria muito para reduzir a violência, enquanto 20% dizem acreditar que contribuiria um pouco. Já 26% da população disse que não enxergar a mesma relação entre criminalidade e horário de funcionamento dos comércios. Os que preferiram não opinar somam 1%.


Proposta do vereador José Maria Pontes causou polêmica em 2008 ao tratar o assunto. O projeto de lei, votado pela Câmara Municipal, limitava a comercialização de bebidas alcoólicas de segunda a quinta-feira até meia-noite. Aos sábados, domingos e vésperas de feriados, a permissão valia até uma hora da manhã. A proposta proibia venda de bebidas em espaços públicos, como calçadas, praças e no entorno de casas de show.


A limitação do horário na Capital é mais defendida na pesquisa O POVO/Datafolha principalmente por mulheres (76%). Os mais velhos, com idade superior a 60 anos, são os que mais apoiam a medida. Entre os mais céticos com a medida estão pessoas com rendimento acima de cinco salários mínimos e com ensino superior. 


Índices de violência
A pesquisa questionou também a relação entre criminalidade e venda de bebida alcoólica em bairros com índices elevados de violência. Do total de entrevistados, 76% acredita que fechar esses estabelecimentos em bairros com maiores índices de criminalidade iria contribuir com a redução da violência na Cidade — 58% acham que contribuiria muito e 18% que contribuiria um pouco. Para 23%, não há relação entre as ações; 1% não opinou.


O questionário foi aplicado a 864 eleitores, de 16 anos ou mais. A margem de erro da pesquisa é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) com o número CE-02799/2016. (Igor Cavalcante)

Fonte: O Povo

Duas pessoas são presas por crimes em disputa política em Mucambo

Duas pessoas foram presas e cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos na manhã desta segunda-feira (26), durante a Operação Sufrágio, no município de Mucambo, no Norte do Ceará. A operação, do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) em parceria com a Polícia Civil, investiga crimes de tentativa de homicídio, ameaça, constrangimento ilegal, dano, entre outros crimes, todos movidos pela disputa política no município.

Na ação, foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão e três mandados de prisão temporária, sendo dois - contra Marque Lenard Lustosa Gomes e Samuel Lima de Aquino Duarte -, efetivamente cumpridos. Junivan Moreira de Santana, conhecido como “Junior Cabeludo”, encontra-se foragido e a polícia continua as buscas para o cumprimento do mandado de prisão temporária contra ele. Os mandados foram expedidos pelo juiz da Comarca de Mucambo, Isaac de Medeiros Santos. Os três são investigados pela tentativa de homicídio de George Wilson Lima Nepomuceno, na madrugada do dia 10 de setembro deste ano, no Sítio Bom Sucesso, durante trajeto na estrada que liga a sede do município de Mucambo à localidade de Carquejo.
Disputa 'intensa'
De acordo com o MP, a operação é consequência da intensa disputa política em Mucambo, onde grupos armados da situação e oposição se atacavam mutuamente e geravam medo e insegurança na população.
“Consta nos autos que diversos indivíduos transitam armados pela localidade de Mucambo, em suposta campanha eleitoral, que tais campanhas são realizadas tanto durante o dia como em horário noturno, com os respectivos integrantes, portando além das armas, fazendo uso também de ‘toucas ninja’, paus, facas, canivetes, punhais, tonfa e etc, no puro intuito de afrontar a população e o partido adversário”, registra o delegado Levy Louzada no inquérito policial.

Na ocasião, eles estavam “promovendo verdadeiras emboscadas com o fim de implantar uma suposta nova ordem ‘coronelista’, promovendo bloqueios na vida pública com veículos, a fim de realizarem ataques a partidários eleitorais opositores, portando armas de fogo de forma ostensiva e intimidatória, causando destruição, mediante o uso com pedras e paus ao patrimônio de terceiros”, afirma.

Participaram da operação os promotores de Justiça Evânio Pereira de Matos Filho, Irapuan da Silva Dionizio Júnior, Francisco Osvando Muniz Filho e Lazáro Trindade Ramos, designados pelo procurador-geral de Justiça, Plácido Barroso Rios, para atuar em conjunto ou separadamente com o titular da Promotoria de Justiça da Comarca de Mucambo, Francisco Handerson Miranda Gomes, e oito delegados da Polícia Civil, entre eles, Levy Louzada, titular de Pacujá e que presidiu o inquérito, e o delegado Regional de Sobral, Otávio Coutinho.


Fonte: G1 Ceará